Dilma fala que faz arrocho como uma "mãe, uma dona de casa"...

Publicado em 25/02/2015 13:15 e atualizado em 25/02/2015 15:43
1512 exibições

A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta quarta-feira a necessidade de ajustes para dar condições a um novo ciclo de desenvolvimento econômico e para que o país "continue a crescer de forma mais acelerada".

"Ninguém faz ajustes por fazer ajustes, eu faço ajuste no meu governo como uma mãe, uma dona de casa faz na casa dela. Nós precisamos agora dar condições de a gente retomar um novo ciclo de desenvolvimento econômico", disse Dilma.

A nova equipe econômica do governo tenta reequilibrar as contas públicas para recuperar a confiança dos investidores no país num difícil quadro de crescimento fraco e inflação alta.

Segundo a presidente, os ajustes são necessários para gerar mais emprego, para assegurar mais renda, e para fazer com que o Brasil continue a crescer de forma mais acelerada", disse.

Durante evento do Minha Casa Minha Vida, em Feira de Santana (BA), a presidente reiterou o compromisso com os programas sociais.

Dilma diz que governo não tem condições de baixar preço do diesel

Apesar da onda de protestos e bloqueios de estradas, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (25), na Bahia, que, atualmente, o governo federal não tem condições de baixar o preço do diesel, como reivindicam caminhoneiros de todas as regiões do país. Nesta quarta, a manifestação dos caminhoneiros entrou em seu sétimo dia de protesto consecutivo contra o aumento do diesel e do preço do frete, considerado baixo pela categoria.

"O governo não tem como baixar o preço do diesel", enfatizou a presidente da República ao final da cerimônia de entrega de 920 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida, em Feira de Santana (BA).

Até a noite de terça, pelo menos 13 estados haviam tido registro de atos, com interdição de rodovias e acessos a portos. Na tentativa de pôr fim aos bloqueios de estradas, integrantes do primeiro escalão de Dilma e representantes dos caminhoreiros irão se reunir em Brasília na tarde desta quarta.

Veja a notícia na íntegra no site do G1, em Brasília

O que o governo propõe aos caminhoneiros

Para encerrar o protesto dos caminhoneiros, o governo se compromete a sancionar sem veto a Lei dos Caminhoneiros, aprovada pela Câmara no último dia 11 e que estabelece regras para o exercício da profissão de motorista. O projeto aprovado assegura isenção de pedágio para quem estiver com o caminhão vazio. Assim, os veículos vazios não pagarão pedágio pelos eixos que estiverem suspensos.

Além disso, o governo admite a prorrogação dos empréstimos do Programa Pró-Caminhoneiro por um ano. Em 2013 e 2014, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) emprestou R$1 bilhão.

Leia a notícia na íntegra no blog do G1, da Cristina Lobo

Confira o vídeo compartilhado pela página Pátria Amada Brasil no Facebook, com trecho da declaração da presidente sobre o reajuste: 

Tags:
Fonte: G1, em Brasília+Reuters

Nenhum comentário