Caminhoneiros mantêm bloqueios em estradas do Sul nesta segunda

Publicado em 02/03/2015 07:30 e atualizado em 02/03/2015 09:38
732 exibições

Depois de um domingo de protestos em vários estados das regiões Norte, Centro-Oeste, Sudeste e Sul, caminhoneiros mantêm na madrugada desta segunda (2) estradas bloqueadas no Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Ao todo, são 11 pontos de bloqueio em rodovias em Santa Catarina, quatro no no Paraná e quatro no Rio Grande do Sul.

Em nota divulgada no domingo (1º), o governo federal afirmou que ampliará a presença de policiais nas estradas para assegurar o cumprimento de decisões judiciais que determinaram o desbloqueio de rodovias.

Uma nova reunião foi marcada entre caminhoneiros e empresários, com mediação do governo, para o dia 10 de março. O encontro servirá para que as duas partes cheguem a um acordo sobre uma tabela que calculará os novos preços dos fretes.

Leia a notícia na íntegra no site do G1.

Na Veja: Paralisações de caminhoneiros perdem força, diz PRF

As paralisações de caminhoneiros perderam força neste domingo e a interdição de rodovias é a menor desde o início das manifestações, há duas semanas. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) não registrava nenhuma interdição total na noite de hoje, apenas doze interdições parciais, em dois Estados, Santa Catarina (dez) e Mato Grosso (duas), contra 52 pontos de paralisações em nove Estados, na noite de sábado.

Os protestos que aconteceram em vários Estados ao longo do dia foram logo dissipados, de acordo com o governo. Pela manhã, caminhoneiros protestaram com um buzinaço nas marginais Pinheiros e Tietê. Cerca de 30 caminhões circularam com velocidade reduzida, provocando lentidão.

Leia a notícia na íntegra no site da Veja

Rio Grande do Sul

Após liberarem rodovias, motoristas voltam fazer bloqueios no RS

Pela primeira vez em uma semana, o Rio Grande do Sul chegou a ter todas as rodovias liberadas neste domingo (2). A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou no final da tarde que todas as BRs tinham o tráfego liberado para caminhoneiros. Pela manhã, o Comando Rodoviário da Brigada Militar havia avisado que as estradas estaduais estavam liberadas. No entanto, na noite de domingo, manifestantes voltaram fazer bloqueios.

Durante a noite, foram registrados dois bloqueios na BR-116, em Camaquã, além de um na BR-392 em São Sepé e outro na BR-157 em Júlio de Castilhos. Em Camaquã, manifestantes atearam fogo a quatro pneus de caminhão empilhados. Ao longo da semana, os atos foram marcados por prisões e uma morte por atropelamento.

Leia a notícia na íntegra no site do G1 RS

Caminhoneiros voltam a fazer bloqueios em rodovias gaúchas

Durou apenas duas horas o tempo que o Rio Grande do Sul ficou sem bloqueios rodoviários após uma semana de protestos de caminhoneiros pelo país. No começo da manhã desta segunda-feira, há cinco pontos com bloqueios no Estado, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Veja quais são:

Camaquã: BR-116, km 407
Camaquã: BR-116, km 397
Camaquã: BR-116, km 405
Soledade: BR-386, km 243
Fontoura Xavier: BR-386, km 268

Manifestantes voltaram a bloquear a BR-116, em Camaquã, no Sul, às 21h30min deste domingo. Segundo a PRF, além de dois pontos com bloqueios, houve queima de pneus e um carro foi incendiado. Além disso, há informações de que veículos foram apedrejados também na região.

Leia a notícia na íntegra no site do Zero Hora

Paraná

Caminhoneiros seguem protestando em rodovias federais do Paraná

Em menor número, caminhoneiros continuam protestando em estradas federais do Paraná  neste domingo (1º). É o 17º dia consecutivo de manifestações da categoria no estado. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), até as 21h, em quatro trechos havia manifestantes em rodovias federais. Quanto às estaduais, a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) não registrou nenhuma interdição até a publicação da reportagem.

No início dos protestos, os caminhoneiros estavam fechando, preferencialmente, as rodovias federais. Diante da ameaça de multa, parte dos manifestantes adotou novas estratégias para enganar a fiscalização: a de trocar rodovias federais por estaduais.

Entretanto, os bloqueios de caminhoneiros nas rodovias estaduais do Paraná foram zerados por volta das 21h de sábado (28), segundo a PRE. Conforme a polícia, a categoria decidiu acatar a decisão da Justiça que determinou as liberações imediatas dos trechos. Em caso de descumprimento da ordem, os caminhoneiros estariam sujeitos a multa de R$ 10 mil por cada hora de interdição nas rodovias.

Leia a notícia na íntegra no site do G1 PR

Santa Catarina

Liberação da BR-158 termina em confronto entre caminhoneiros e PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu seis adultos e apreendeu dois menores durante ação de desbloqueio da BR-158, em Cunha Porã e Palmitos, na noite deste domingo (1º). Eles atiraram pedras contra caminhões que deixaram o bloqueio e também em uma viatura do órgão federal.

Até a publicação desta reportagem, haviam 11 trechos bloqueados em rodovias federais e estaduais de Santa Catarina. Apenas estados do Sul do país ainda mantinham vias interditadas.

Liberação de dois pontos

No Oeste catarinense, os policiais foram até os kms 109, em Cunha Porão, e 139, em Palmitos, após denúncias de que caminhoneiros estavam sendo obrigados a permanecer no bloqueio contra a vontade, conforme o inspetor da PRF da região de Chapecó, Ivo Silveira informou ao G1. A ação começou por volta das 18h30 deste domingo.

Leia a notícia na íntegra no site do G1 SC

São Paulo

Caminhoneiros protestam em trevo de Tupi Paulista, na SP-294

Um grupo de pelo menos 30 caminhoneiros iniciou uma paralisação no km 658 da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), no trevo de Tupi Paulista, na manhã desta segunda-feira (2). De acordo com informações da Polícia Militar Rodoviária, os manifestantes permanecem no acostamento.

Conforme a corporação, os veículos de passeio e de emergência passam normalmente, porém não é possível precisar qual o procedimento realizado na estrada, já que as equipes do policiamento ainda se deslocam para o local.

Entre as reivindicações da categoria nos últimos protestos estão a redução no valor do óleo diesel, bem como dos pedágios e impostos; valorização dos fretes; melhoria nas estradas; regulamentação adequada às horas de trabalho; e mais segurança no transporte.

Leia a notícia na íntegra no site do G1 Presidente Prudente

Tags:
Fonte: G1

1 comentário

  • JOSÉ DONIZETI PITOLI CORNÉLIO PROCÓPIO - PR

    Primeiro temos que separar o que é camioneiro e o motorista; camioneiro é o dono do caminhão e dele tira o seu sustento; motorista é o profissional contratado pelo camioneiro ou pela empresa de transportes. Segundo, que enquanto estão fechando as estradas em diversas regiões do país, chamam a atenção da mídia escrita e televisiva para o fato e por baixo dos panos o governo federal, o congresso, (senado e camara dos deputados) aprovam mais benesses e mordomias para sí, exemplo o pagamento de pagassagens para as esposas. Aqui no Estado do Paraná, o governador Beto Richa tenta aprovar seu pacote de maldades, ladeado por deputados de todos os partidos que foram eleitos para defender o povo. Em contra partida para dar uma cala boca no judiciário aprovaram o famigerado auxílio moradia para os togados em módigos R$.4.411,00 por mês. O protesto de camioneiros tem que ser feito nas capitais, defronte o palácio do governo; em frente as moradias da presidente, do governador, senador, deputado. Devem trancar Brasília, sitiá-la não deixar chegar alimentos. A medidas anunciadas até agora pela presidente, só beneficiam meia dúzia de grandes empresas e empresários, todas ligada a políticos.

    0