Fundo de Financiamento do Centro-Oeste mantém taxas de juros para financiamento rural em MS

Publicado em 19/03/2015 16:44
131 exibições

Como forma de estimular a produção em Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado estabeleceu para este ano a permanência das taxas de juros empregadas em 2014 pelo Fundo de Financiamento do Centro-Oeste - FCO.  Produtores rurais que pretendem iniciar, ampliar ou modernizar atividades produtivas no Estado podem tomar empréstimo com percentual que mantém a variação de 4,5% a 6,5% ao ano, taxas válidas para o primeiro semestre.

Os recursos disponíveis para financiamentos no segmento rural são de R$ 694 milhões, sendo que R$ 554,5 milhões estão disponíveis para compra de máquinas, investimento em infraestrutura e reforma de pastagens e R$ 138,6 milhões para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar - Reforma Agrária (Pronaf-RA). “Com os recursos do Fundo o produtor rural, seja ele, pequeno, médio ou grande, pode financiar seus empreendimentos com a facilidade do pagamento em prazo estendido e taxas de juros adequadas a sua atividade rural. O principal objetivo é promover o desenvolvimento econômico e social do Centro-Oeste do país”, explica o titular do Conselho representando o Sistema Famasul, Justino Mendes.

Os percentuais são válidos para a primeira metade do ano, a orientação é que o produtor se antecipe em relação a projetos que demandam a tomada de empréstimo, embora há confiança que as taxas sejam mantidas. “O FCO é um importante instrumento de desenvolvimento em todas as esferas produtivas, fomentando novos investidores, novos empregos e desenvolvimento para MS. Imaginamos que o Governo Estadual não vai medir esforços para manter o percentual de juro atrativo para o setor no segundo semestre”, ressalta o presidente do Sistema Famasul, Nilton Pickler.

Para obter financiamento com recursos do FCO, o produtor deve encaminhar a proposta mediante carta-consulta a ser entregue na agência bancária, documento que será analisado pelo Conselho Estadual. Para que não haja demora, o Sistema Famasul orienta que os produtores rurais atualizem o cadastro junto ao seu banco e assim, agilizem a liberação do crédito rural.

Ainda que o cenário nacional seja recessivo, Mato Grosso do Sul oferece perspectiva em vários segmentos do agronegócio. O Estado tem uma área plantada de eucalipto de aproximadamente 800 mil hectares, segmento em expansão. A defasagem de armazenamento de, pelo menos 7 milhões de toneladas de grãos, também é oportunidade de investimento. A meta do Governo é fazer contratações cobrindo os 79 municípios do Estado, aplicando o valor total destinado aos financiamentos para o setor e aumentando o número de novos beneficiários.

O Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis do FCO é composto por representante do Sistema Famasul, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade), Secretaria de Estado de Produção e Agricultura Familiar (Sepaf), Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Secretaria de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei), Instituto de Meio Ambiente (Imasul), Federação das Indústrias do Estado (Fiems), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio), Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (AGRAER), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/MS), Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras Assalariados Rurais (FETTAR/MS) e Federação dos Trabalhadores na Indústria (FTIMS).

Tags:
Fonte: Famasul

Nenhum comentário