Índia quer comercializar vacas Jersey para fugir de proibição religiosa

Publicado em 24/04/2015 15:51
129 exibições

LOGO REUTERS (16408)

Por Meenakshi Sharma

MUMBAI (Reuters) - Em reação a uma proibição que ameaça sua atividade, comerciantes de carne bovina da Índia estão buscando permissão para abater vacas Jersey de origem estrangeira, que acreditam não são sagradas para a maioria hindu do país como o gado criado localmente.

Vários Estados liderados pelo partido nacionalista hindu Bharatiya Janata, do primeiro-ministro, Narendra Modi, ou criaram novas leis para banir a carne bovina ou aprofundaram as limitações para o abate do gado.

A Índia é um dos maiores exportadores mundiais de carne bovina e seu quinto maior consumidor, e o comércio é dominado pela minoria muçulmana, que teve pouco sucesso ao protestar contra as mais recentes restrições.

O Conselho Milli de Toda a Índia, uma plataforma para os muçulmanos indianos, agora diz apoiar o veto à carne bovina, mas gostaria que o governo lhe oferecesse alternativas. Eles torcem para que o gado Jersey, originalmente criado na Ilha de Jersey para o mercado de laticínios, possa ser uma opção.

"Exigimos que o governo nos deixe abater as vacas Jersey, que são de origem estrangeira, não há sentimentos religiosos em relação a elas", argumentou M.A. Khalid, secretário-geral da unidade do conselho no Estado de Maharashtra, no oeste do país.

Maharashtra sedia Deonar, o maior abatedouro da Índia, e em fevereiro o Estado ampliou o veto ao abate das vacas para touros castrados ou não. Nesta sexta-feira, o ministro-chefe, Devendra Fadnavis, descartou a ideia de permitir o abate das vacas Jersey.

"Não há exceções", declarou à Reuters.

Desde a proibição instaurada em Maharashtra, o abate de gado em Deonar caiu pela metade, a maioria búfalos. Vários funcionários ficaram sem emprego, e Fadnavis disse que o governo está cogitando um plano de reabilitação para a comunidade de Qureshi, a mais afetada, mas não deu detalhes.

Enquanto isso, grupos hindus estão trabalhando pelo bem-estar do gado que deve ser abandonado devido à proibição à carne bovina.

Vyankatesh Abdeo, secretário do Conselho Milli de Toda a Índia no Vishwa Hindu Parishad, ou Conselho Mundial Hindu, afirmou que irão proteger qualquer raça de vaca e aumentar em oito vezes o número de abrigos para elas no Estado, ou seja, cinco mil unidades.

"Toda vaca é sagrada para nós, independentemente de sua raça”, disse Abdeo.

(Reportagem adicional de Clara Ferreira Marques)

Tags:
Fonte: Reuters

Nenhum comentário