Banco Central adia seguro rural obrigatório para 2016

Publicado em 24/04/2015 17:45 e atualizado em 25/04/2015 08:13
401 exibições

O Banco Central transferiu para 1º de julho de 2016 o início da obrigatoriedade de financiamentos rurais destinados a custeio agrícola contratarem seguro rural. A norma valerá para financiamentos de até R$ 300 mil. A exigência passaria a valer em julho deste ano. De acordo com o chefe do Departamento de Regulação e Controle de Crédito Rural, José Ângelo Mazzillo Júnior, o adiamento teve por objetivo dar mais tempo para que os bancos que irão oferecer o seguro adaptem seus sistemas e aperfeiçoem a fiscalização.

Leia a matéria na íntegra no site Gazeta do Povo.

Tags:
Fonte: Gazeta do Povo

1 comentário

  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    De um direito a renegociação para a obrigatoriedade de seguro. Em vez de diversas modalidades de seguro, uma só, e obrigatória. Cometem ainda a falsidade de afirmar que a renegociação onera o estado, o que é uma grande mentira, pois o que onera o estado são as renegociações de produtores que devem mais do que tem e que nunca pagam nada. São os profissionais do lobby.
    Na verdade o que o BC quer é que esse custo seja dividido entre todos os produtores, ficando toda a arrecadação livre para o estado.

    0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      O subsidio que o governo concede ao produtor se refere ao capital do custeio agricola e, que coincidentemente cobre as compras dos insumos e mais "alguma coisa", ou seja se houver o sinistro, o capital que o agente financeiro repassou as empresas será pado pela seguradora, mas aquela possível renda que o produtor iria obter, continuara como um sonho não alcançado por aquele que movimenta toda a cadeia do agronegócio. O SEGURO DA RENDA NÃO É SUBSIDIADO !!!

      0
    • DALZIR VITORIAUBERLÂNDIA - MG

      Caro Rensi...está cheia de associações de produtores PELEGA Brasil afora..´so trampolim político...mas procurar resolver os problemas nada...nada.. O caso do seguro renda temos em exemplo da AFUBRA..associação dos fumicultores do Brasil...esta entidade mantém um seguro renda a muito temo..era piá de calça curta e meu avo plantador de fumo falava no seguro... Outra coisa voce já ouviu falar que quebrou alguma seguradora!!!! o negócio é dos mais rentáveis e as associações com recursos poderiam auxiliar ainda mais a classe....

      0
    • GUILHERME FREDERICO LAMBASSIS - SP

      Rodrigo, o estado sempre dando um jeito de perverter as reivindicações a seu favor, aumentando o poder de controle do estado sobre o indivíduo. Se esse seguro que o estado propõem fosse bom, não precisava ser obrigatório.

      0