Na China, Temer pede agilidade na abertura de mercado a produtos agrícolas brasileiros

Publicado em 06/09/2016 07:29 e atualizado em 06/09/2016 08:10
354 exibições

Em entrevista coletiva à imprensa, o presidente da República, Michel Temer (PMDB), afirmou que pediu ao presidente chinês, Xi Jinping, maior rapidez na abertura do mercado do país para os setores agrícolas brasileiros. “Eu acho que a China já tem feito isso com muita propriedade e adequação, mas há pleitos brasileiros, especialmente no tocante a frigoríficos e fornecedores de carne, que estão sendo examinados pelo governo chinês”, destacou.

Segundo Temer, o presidente chinês lembrou, durante o encontro bilateral, a amizade entre os dois países e garantiu que pretende intensificar as relações. O presidente do Brasil está na China para participar da reunião da cúpula do G20, que começou neste domingo e será encerrada hoje, na cidade de Hangzhou.

Leia a notícia na íntegra no site Agronotícias

Na China, Blairo Maggi diz que o Brasil tem condições de atender demanda mundial de alimentos

Durante palestra no Seminário Empresarial de Alto Nível Brasil-China, em Xangai, o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) afirmou que a agricultura brasileira tem capacidade de aumentar ainda mais a sua participação no mercado mundial do agronegócio.  “O complexo do agro é bastante diversificado no Brasil. Temos condições de atender a toda população brasileira e as demandas mundiais”, garantiu. 

 
Maggi revelou que sua meta a frente do Ministério da Agricultura é aumentar a participação brasileira no mercado mundial de 6,9% para 10% em um prazo de cinco anos. Para tanto, ele fez um apelo ao presidente Michel Temer para que peça ao presidente da China, Xi Jinping, com quem manterá um encontro neste sábado, que abra a possibilidade de ampliar o comércio com o Brasil. 
 
“Nós temos capacidade de produzir, sabemos como fazer, mas temos restrições, muitas vezes impostas pelos organismos aqui da China. Eles têm colocado algumas imposições, medidas fitossanitárias que não fazem muito sentido, que prejudicam o comércio”, afirmou Maggi durante exposição que contou com a participação de empresários e políticos brasileiros e chineses.
 
O ministro da Agricultura reclamou da demora do governo chinês para liberar a habilitação de novas plantas frigoríficas brasileiras. Para Maggi, essas dificuldades impostas pelo país asiático são usadas como “moeda de troca” para impor produtos chineses. 
 
Blairo Maggi viajou no último dia 30 para China onde participará da reunião do G-20. O ministro encontrou o presidente Michel Temer, que voltou a elogiar o plano Agro + lançado pelo Ministério da Agricultura na semana passada. Durante a primeira reunião ministerial, após tomar posse em caráter definitivo como presidente da República, Temer pediu aos demais ministros que façam o mesmo em suas pastas. 
 
“Quero pedir a todos que nos respectivos ministérios criem um grupo para desburocratizar as medidas que são tomadas pelo ministério. O ministro Blairo Maggi apresentou um plano, depois que um grupo trabalhou reduzindo as dificuldades burocráticas em 63 pontos determinados”, afirmou.
 
O presidente revelou que pensava em criar um órgão específico para cuidar exclusivamente da desburocratização, mas, após o lançamento do programa Agro+ do Ministério da Agricultura, ele entendeu que o melhor seria que os próprios ministros possam examinar quais são as dificuldades existentes em suas pastas e apresentar as soluções. A coordenação ficará a cargo do ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.
  
O ministro Blairo Maggi seguiu na tarde desta sexta-feira (2), no avião presidencial, para Hangzhou onde vai participar da reunião do G-20. 
 

Tags:
Fonte: Agronotícias +Mapa

Nenhum comentário