Sob pressão de produtores rurais, governo vai mudar tabela de fretes

Publicado em 06/06/2018 08:09 e atualizado em 06/06/2018 13:36
3909 exibições

Após pressão de produtores rurais, o governo federal recuou e vai rever a tabela de preços mínimos para os fretes rodoviários. A informação foi dada ao Estadão/Broadcast pelos ministros dos Transportes, Valter Casimiro, e da Agricultura, Blairo Maggi, após reunião com representantes do agronegócio na noite desta terça-feira. Os ruralistas dizem que a tabela, uma das promessas feitas pelo governo para conseguir encerrar a greve dos caminhoneiros, eleva os custos do frete em até 150%.

O ministro Maggi afirmou que a demanda das entidades presentes ao encontro mostra que a tabela de preços mínimos de frete “é extremamente elevada, praticamente inviabiliza o setor produtivo” e, por isso, será revisada. Segundo ele, os cálculos da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), responsável pela elaboração da tabela, foram “muito corridos” para atender à demanda dos caminhoneiros, e alguns cálculos foram imprecisos. “A ANTT vai trazer para a realidade uma série de coisas e deve propor uma nova tabela de fretes amanhã (quarta-feira, 06)”, disse.

“A tabela é processo construtivo que depende de discussão com todos os setores. Está previsto na medida provisória que a tabela tem de passar por consulta pública, e que vai ter ajuste, vai”, disse Casimiro. “Isso vai para consulta pública, vamos ouvir todos os setores para que saia uma tabela que atenda a todos e seja boa para o País.” Nas redes sociais, porém, os caminhoneiros já reagem a essa possibilidade de mudança e até ameaçam com novas paralisações.

Leia a notícia na íntegra no site do Estadão.

Tags:
Fonte: Estadão

8 comentários

  • Darley Vieira Lages Esteio - RS

    Coincidem os interesses dos consumidores, das grandes transportadoras e do governo. O frete deve ser regulado pelo mercado. O frete tabelado só beneficia os transportadores autônomos, cujos custos de manutenção dos veículos é maior, por falta de escala. A frota autônoma está inchada, o que aconteceu devido às facilidades de financiamento propiciada irresponsavelmente pelo governo da Dilma, ao mesmo tempo que a demanda diminui em função do retrocesso econômico. Quem comprou caminhão para trabalhar, no legítimo desejo de progredir na vida, e não analisou se haveria frete suficiente, fez mau negócio e muitos devem estar arrependidos, rodando com seus veículos novos, mas vazios. As leis econômicas de mercado são soberanas.

    0
  • R L Guerrero Maringá - PR

    Taí uma das grandes "conquistas" da greve: quase DOIS MILHÕES de dólares por dia, saindo do lombo do produtor...
    Onde andam agora aquelas vivandeiras intervencionistas que pularam da cadeira para apoiar esta greve ilegal logo no primeiro dia? Ilegal é pouco, esta greve foi um ato terrorista mesmo!
    Cadê aqueles rebelados que fizeram bloqueios de "apoio a greve", mas onde não se via uma única reivindicação a não ser "intervenção já!"? Até tratores de meio milhão de reais, financiados pelo BNDES, foram usados como barricadas e revestidos com as infames faixas. Isto está previsto no contrato de financiamento? Uso de um bem financiado com dinheiro do contribuinte para a coação política e atos de sabotagem da logística nacional?
    E agora, estão gostando das "conquistas"?
    "Ain, mas é por um brasil melhor, enquanto você fica ai coçando o saco".
    Pues tomem teu Brasil melhor.
    "Melhorou" a confusão, "melhorou" a discórdia, a recessão, a insegurança. "Melhorou" tudo que não presta!
    A começar pelo que você e eu, produtores, pagamos de custo Brasil.

    20
    • LUIZ ALFREDO VIGANÓMARMELEIRO - PR

      Pois é Guerrero, sumiram uns comentaristas donos da verdade aqui do "Fala Produtor"!

      9
    • VICTOR BENSOMAJOR VIEIRA - SC

      Ainda estamos aqui, trabalhando com garra. Sabendo que o sucesso não se faz de mimimi.

      3
    • ELTON SZWERYDA SANTOSHORTOLÂNDIA - SP

      Me desculpem, nao sou tolo de achar que uma intervençao iria resolver todos os erros brasileiros, tanto é que sou contra. Mas nao tem nada a ver greve dos caminhoneiros, com a intervençao, apesar de achar que esta havendo nos comentarios acima um equivoco, a greve foi apoiada por quem utiliza diesel em seu trabalho, reajuste diario é pura loucura!! A greve alcançou seu objetivo em acabar com isso. O tabelamento de fretes nos moldes concebidos erro grave ate para os transportadores.

      0
    • LUIZ ANTONIO LORENZONICAMPO NOVO DO PARECIS - MT

      Interessante, eu apoiei a greve e talvez devesse ter sido mais participativo, embora jamais participaria das "negociações". Acho que ela deu uma "chacoalhada" nos brasileiros, e no final ela terá repercussões não só econômicas mas políticas também. Com relação ao frete, tem muito "boi nesta linha". Claro que JAMAIS seria favorável ao tabelamento dos fretes, assim como SEMPRE fui contra preços mínimos e juros "subsidiados". Mas, digam-me os entendidos, qual fundamento econômico originado pela greve para o preço estar caindo? Afinal, se não tem venda, não tem embarque, não tem negócios (culpa da greve claro), o preço não teria que estar subindo??

      2
  • Carlos Rodrigues -

    O mercado tem que funcionar , vejam o caso do café no final desta safra centenas de pequenos produtores na falência!! a única solução para ajustar preços em tudo é equilibrar a oferta e procura..

    0
  • Darley Vieira Lages Esteio - RS

    A frota de caminhoes excede em muito a demanda de fretes, por conta do estimulo dado pelo governo ao financiamento para compra dos veiculos. Muita gente embarcou nesta canoa furada e agora nao consegue seguer pagar o financiamento de seu caminhao. O governo nao deve se intrometer no mercado, pois quanto mais tentar corrigir artificialmente,mais piorara a situacao. O mercado deve se auto regular. Infelizmente muitos quebrarao por terem feito mau negocio. Acontece que as leis economicas naturais sao soberanas e nao podem ser enganadas. Quando o Brasil vai comecar a ser um pais serio?

    0
    • GILMAR ANTONIOSANTO ÂNGELO - RS

      Existe uma piada antiga que em resumo diz o seguinte: Lá num povoado do interior, um vereador ouviu dizer que o feijão subiu por causa da lei da oferta e da procura. "Mas então vamos revogar essa lei" disse ele. Pois bem, por inacreditável que seja, o Governo Federal REVOGOU a LEI DA OFERTA E DA PROCURA por meio de uma Medida Próvisória. Isto é Brazil zil zil zil. Está chegando a Copa do Mundo, depois eleições e esses absurdos vão continjuar.

      0
  • Rafael Antonio Tauffer Passo Fundo - RS

    Veja como é o Brasil. Segundo informações se uma transportadora ou o cerealista carregar abaixo da tabela imposta pelo governo os dois serão multados. Mas quando um agricultor tem que vender trigo ou milho abaixo do preço mínimo aí tudo bem.

    0
  • elcio sakai vianópolis - GO

    Frete mínimo é uma piada..., logo os outros custos irão subir (pneu, peças, serviços, etc.)..., pensar que o óleo -- junto com o valor do frete --, sãos os únicos vilões do setor, é um enorme erro... Quem tem caminhões ou carretas sabe que se fundirem seus motores irão ter que trabalhar de seis meses a um ano apenas pra consertar os mesmos.... Precisamos diminuir a maquina publica, baixando assim os impostos de nossas despesas operacionais. Colocar a culpa apenas no nosso presidente Temer é um erro, pois nossos estados tem uma ineficiência de igual a pior.

    5
    • DALZIR VITORIAUBERLÂNDIA - MG

      Elcio... frete tabelado funciona para uma frota agregada... pra fretes avulsos em geral não funciona .. Acabei de sair da Coopercitrus... o vendedor me falou que o sal comum só de frete vai custar R$ 11,00... oque deve ser quase o valor de venda hoje... logo, sal comum a R$ 40,00 o saco vai cair consumo... e o caminhão que vai a Rio Grande do Norte vai voltar com que carga??? vai esperar 15 dias... voltar vazio??? ... outra coisa, paguei ureia a R$ 82 por saco semana passada... voltei a comprar ontem... o vendedor calculou frete pela tabela... foi a R$ 94,00... é mole ne??? imaginem o adubo no MT... hoje é frete retorno... E ainda tem produtor inocente apoiando greve. O produtor rural perde com tabelamento de fretes...adubos...sementes..insumos hoje vão da fábrica as propriedades com frete baixo...chamado retorno...com o tabelamento deve quase dobrar o valor... No frete dos produtos vendidos como e calculado.. Preço nos portos menos fretes.. Com frete mais alto o preço do produto vendido pelo produtor cai...as demais compras feitas pelo produtor se igualam aos brasileiros...os seja o subsídio do diesel será pago pelo tesouro...entenda-se com o povo

      1
    • VICTOR ANGELO P FERREIRA VICTORVAPFNEPOMUCENO - MG

      Não vai demorar a criação do UBER somente para fretes... Portanto, é uma boa idéia criar o UBER do frete...

      2
    • TIAGO GOMESGOIÂNIA - GO

      Definitivamente não tem como tabelar frete. Os próprios caminhoneiros e empresas de transporte sabem disso. Agora para desfazer essa trapalhada toda vai haver um auee danado. Que trapalhada desse governo!

      0
  • Paulo Gilberto Lunardelli CAMPINA DA LAGOA - PR

    Essa tabela de fretes saiu equivocada, o frete do caminhão graneleiro veio com valor superior ao frete do caminhão frigorifico e da carga perigosa, acredito que ela tenha saiu invertida.

    0
  • Tiago Gomes Goiânia - GO

    Ainda a quem diga que o setor produtor rural não tem força. Talvez a questão aí seja quem irá pagar a conta desse frete mínimo. O mercado é dinâmico, no meu entendimento governo não deveria intervir em preços de frete. Mecha com os impostos dos combustíveis se for o caso. Já pensou setor rural peça preço mínimo para seus produtos e a conta fique diretamente com o consumidor? Ou faça igual é feito com parte do próprio setor rural que vive com o pires na mão pedindo subvenção do governo para tudo. O setor produtivo definitivamente tende se definir, queremos o livre mercado ou não? Isso vale para todos os setores, se não continuaremos a ver o canibalismo do setor produtivo brasileiro pela barganha do pouco que o tesouro (nosso din din) tem a oferecer.

    1