GAF18 debate modelos de produção mais modernos e sustentáveis no Cerrado

Publicado em 12/07/2018 10:22 e atualizado em 24/07/2018 20:44
871 exibições
Projeto Parcerias para o Bom Desenvolvimento difunde boas práticas e viabiliza novas oportunidades de negócio a produtores da região

Dia 24/07

Um projeto brasileiro com projeção internacional ajudará a difundir novas tecnologias e boas práticas de gestão agrícola em diversas regiões do País. Batizado de Parcerias para o Bom Desenvolvimento, a iniciativa surge como a oportunidade para o agronegócio nacional se posicionar diante dos mercados globais como sinônimo de eficiência, inovação e sustentabilidade. O projeto foi lançado em Nova York no final do ano passado pelo Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF, na sigla em inglês), órgão ligado ao Banco Mundial que financiará ações nos estados do Tocantins e Bahia. A região do Matopiba é considerada a grande fronteira de expansão agrícola no Brasil. O modelo da proposta foi desenvolvido pela Conservação Internacional do Brasil (CI-Brasil), instituição responsável pela implementação do projeto, que tem como parceiros a SRB e a Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS).

Para o presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), Marcelo Vieira, este projeto no Matopiba será uma vitrine para mostrar como o produtor rural vem contribuindo de maneira decisiva para uma produção mais compatível com as demandas ambientais. No Global Agribusiness Forum (GAF18), o Brasil poderá apresentar esse e outros bons exemplos para a comunidade internacional. O evento, considerado um dos principais encontros do agronegócio mundial, acontece nos 23 e 24 de julho 2018, no Sheraton WTC Hotel, em São Paulo (SP).

O Cerrado é o segundo maior bioma do Brasil, ocupando uma área de 204 milhões de hectares (24% do território nacional), dos quais 103 milhões (50,5% da área original) estão cobertos por vegetação nativa. As ações do projeto na região prevêem ampliar a oferta de assistência técnica para apoiar a transição para uma agricultura de baixo carbono, apoiar o produtor rural na sua adequação ao Código Florestal, prospectar mecanismos de pagamentos por serviços. A iniciativa tem como parceiros globais o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), a Conservação Internacional (CI), o World Wildlife Fund (WWF) e o International Finance Corporation (IFC).

Segundo Vieira, a iniciativa de difundir os modelos mais eficientes de produção para todos os produtores do Brasil é o primeiro passo para agregar valor aos nossos produtos. “Os investimentos feitos pelo setor produtivo precisam ser mais reconhecidos pelos outros países”, enfatiza o presidente da SRB ao reinvindicar mais oportunidades de negócio e acesso a novos mercados para o produtor brasileiro.

O GAF18 terá como tema central “A ciência do campo a serviço do planeta: a ação é agora”. O evento é promovido pela SRB em conjunto com a Associação Brasileira de Produtores de Milho (Abramilho),  a Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ),o Forum Nacional Sucroenergético, União Nacional do Etanol de Milho (UNEM) e com DATAGRO Consultoria.

Dia 23/07

Tags:
Fonte: GAF

Nenhum comentário