Epagri divulga relatório com resultados da última década

Publicado em 13/12/2018 17:43
95 exibições

A Epagri desenvolveu 176 tecnologias para o meio rural desde 2009 – desse total, 81 são cultivares de plantas que oferecem aos agricultores mais produtividade, qualidade, resistência a doenças e adaptação a condições climáticas adversas. Para o consumidor, isso significa ter alimentos com melhor aparência e sabor, produzidos de forma mais sustentável.

A Empresa também atendeu 120.022 famílias de agricultores e pescadores em Santa Catarina em 2017, o que representou 66% do total, contra um índice de 50% em 2009. No mesmo período, o número de entidades atendidas praticamente dobrou: foi de 1.605 em 2009 para 3.131 em 2017.

Esses são alguns resultados que a Empresa apresenta no documento “O valor da Epagri”, que reúne indicadores do trabalho realizado nos últimos 10 anos e está disponível no site www.epagri.sc.gov.br. A publicação destaca o aumento da eficiência da Epagri desde 2009 e os reflexos disso nas principais cadeias produtivas do agronegócio catarinense. “Com apoio dos produtores rurais, pescadores e muitos parceiros, ganhamos destaque no cenário nacional como sinônimo de uma agricultura moderna, produtiva e sustentável”, resume Luiz Ademir Hessmann, presidente da Empresa.

Retorno social – O documento destaca números do Balanço Social da Empresa, publicado anualmente desde 2009. Nesse período, o retorno para cada real investido na Epagri subiu de R$3,10 para R$5,88. E a contribuição da Empresa na geração de riquezas para a sociedade saltou de R$654 milhões em 2009 para R$2,23 bilhões em 2017.

SC Rural – A Epagri foi uma das principais executoras do Programa SC Rural, desenvolvido entre 2009 e 2016 pelo Governo do Estado com financiamento do Banco Mundial (BIRD). O objetivo geral foi aumentar a competitividade das organizações dos agricultores familiares de SC. Esse trabalho capacitou 98 mil famílias, melhorou 59 mil sistemas produtivos e elevou a renda das famílias atendidas em R$89 milhões. Também foram realizados 72 cursos que capacitaram 2.177 jovens rurais. Esse público recebeu R$7,8 milhões em apoio para 902 projetos de vida.

URTs – A Epagri implantou 1.685 Unidades de Referência Tecnológica (URTs) em propriedades rurais catarinenses entre 2009 e 2018. As URTs são propriedades familiares selecionadas para receber novas tecnologias em determinada cadeia produtiva e passam a servir de modelo para agricultores da região. Nelas são realizados cursos, dias de campo, oficinas e reuniões para mostrar, na prática, que vale a pena adotar as tecnologias orientadas pela Epagri. De 2014 a 2017, o lucro das 60 melhores URTs de leite cresceu 97%.

Meteorologia – De 2009 a 2018, o número de estações meteorológicas da Epagri/Ciram saltou de 83 para 262. A Empresa gerencia, no total, 679 estações que geram 100 mil dados por dia e são fundamentais para o monitoramento das condições do tempo no Estado. A Empresa é a principal fonte de consulta em previsão do tempo em Santa Catarina e fornece informações que dão suporte às ações da Defesa Civil. O site de previsão do tempo da Epagri recebe, em média, 1 milhão de acessos por mês.

Eficiência na gestão – O relatório também apresenta sistemas de gestão que melhoraram a eficiência e o controle do trabalho realizado pelos colaboradores da Epagri. Na gestão financeira, gráficos revelam o crescimento das receitas com prestação de serviços, convênios e royalties e a economia com tributos.

Cadeias produtivas – O documento também dá exemplos de como o trabalho da Epagri impacta no crescimento do agronegócio catarinense:

- Arroz: os cultivares da Empresa ocupam 80% da área plantada em SC.

- Apicultura: público atendido cresceu de 838 em 2009 para 6.760 em 2018 e a produtividade por colmeia saltou de 13kg para 20,5kg.

- Leite: SC é o segundo estado brasileiro em produtividade. Cada vaca produz em média 4 mil litros por ano.

- Hortaliças: o número de produtores cresceu 76% de 2006 a 2017, com notável crescimento no cultivo de orgânicos.

- Maricultura: com apoio da Epagri, SC se tornou o maior produtor de ostras e mexilhões do Brasil e o segundo da América Latina.

- Piscicultura: a produtividade da piscicultura comercial saltou de 4,8t/ha para 7,4t/ha entre 2010 e 2015 graças ao aprimoramento técnico dos produtores e ao melhor uso de tecnologias.

- Fruticultura: entre 2006 e 2017, a produção catarinense subiu de 1,09 milhão para 1,26 milhão de toneladas. O aumento da área plantada e da produtividade revelam a atuação da Epagri na pesquisa e na assistência técnica às famílias.

Tags:
Fonte: Epagri

Nenhum comentário