Presidente da CNA e embaixador da China debatem cooperação e oportunidades de negócio para os produtos do agro

Publicado em 28/03/2019 17:40
92 exibições

O presidente da CNA, João Martins, se reuniu na noite de quarta (27) com o embaixador da China, Yang Wanming, e com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para um diálogo sobre as oportunidades de exportação dos produtos do agro brasileiro, a cooperação tecnológica e a ampliação do intercâmbio comercial entre os dois países.

O embaixador trouxe uma comitiva de representantes da embaixada e foi recebido pelo presidente e diretores do Sistema CNA/Senar em um jantar na sede da Confederação. Além da ministra, secretários do Ministério da Agricultura também estiveram presentes no encontro.

João Martins falou das ações da Confederação e dos projetos da Superintendência de Relações Internacionais da CNA para ampliar e diversificar as exportações dos produtos do agro. “Os produtores rurais brasileiros produzem alimentos de qualidade, com eficiência, e têm condições de fornecê-los para o mundo”.

Para o presidente da CNA, há uma necessidade de se construir cada vez mais uma pauta exportadora baseada no pragmatismo comercial e a CNA tem “um papel fundamental” ao aproximar o embaixador da China com os produtores rurais brasileiros e com os representantes do governo.

A China é o maior parceiro comercial do Brasil e para reforçar a importância de um diálogo constante com o país asiático, a ministra Tereza Cristina falou da missão oficial que o governo fará à China em maio. Na programação, a comitiva visitará a maior feira de alimentação e agricultura da Ásia, a SIAL China.

“Temos uma extensa pauta para tratar durante a missão técnica, como a abertura de plantas de frigoríficos para a exportação e a abertura comercial de alguns produtos agropecuários. Por outro lado, a China também tem interesse em exportar outros produtos para o Brasil”, afirmou a ministra.

Segundo Tereza Cristina, encontros como o promovido pela CNA e missões governamentais são importantes e podem render “bons frutos”, inclusive na área de cooperação tecnológica. “O embaixador demonstrou o interesse em investir em portos, ferrovias, hidrelétricas e em todo o setor de infraestrutura do Brasil”.

“Trocamos opiniões sobre intercâmbio comercial e também sobre a cooperação na agricultura entre China e Brasil. Esperamos que a missão oficial do Brasil à China resulte em uma cooperação máxima entre ambos os países”, destacou o embaixador Yang Wanming ao final do encontro na CNA.

O diretor de Relações Internacionais da CNA, Gedeão Pereira, que também é presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), falou da importância de o país estar atento às oportunidades de negócio.

“A China vem crescendo em números exponenciais. Isso significa que é um grande consumidor de alimentos. Atualmente já exportamos soja e celulose para a China, mas estamos atentos a outras oportunidades para o agro brasileiro, como a fruticultura e o setor de produtos lácteos”, disse Gedeão Pereira.

Em novembro de 2018, a CNA e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) realizaram uma missão empresarial à China. Formada por entidades privadas, empresários e representantes do governo, a comitiva teve o intuito de divulgar os produtos lácteos e as frutas brasileiras para prospectar oportunidades de negócios, conhecer o dinamismo e a realidade do mercado chinês e fortalecer parcerias.

Também participaram do encontro os presidentes das Federações de Agricultura e Pecuária da Bahia (Faeb), Humberto Miranda, de Pernambuco (Faepe), Pio Guerra, do Ceará (Faec), Flávio Saboya, do Amazonas (Faea), Muni Lourenço, da Paraíba (Faepa/PB), Mário Borba, do Rio Grande do Norte (Faern), José Vieira, o diretor-geral do Senar, Daniel Carrara, a superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia Dutra, e o superintendente Técnico da CNA, Bruno Lucchi.

Tags:
Fonte: CNA

Nenhum comentário