Em visita à FPA, Doria anuncia Salão Internacional do Agro em São Paulo (FPA)

Publicado em 23/04/2019 16:10 e atualizado em 23/04/2019 23:42
180 exibições
Campanha contra fake news na agropecuária também foi lançada para parlamentares

Um espaço para realizar na capital de São Paulo um Salão Internacional do Agronegócio. Foi esta a notícia que o governador do estado, João Dória, trouxe para a reunião da Frente Parlamentar da Agropecuária nesta terça-feira (23). A ideia é reunir produtores e compradores, cientistas e universidades para discutir o setor rural. “Será uma grande oportunidade onde poderemos falar da desmistificação da criminalização da agropecuária, da nossa forma de consumir alimentos. A verdade tem que começar no solo de quem planta e terminar na mesa de quem come ”, disse o presidente da FPA, deputado Alceu Moreira (MDB – PR).

O governador de São Paulo, acompanhado dos secretários de estado de Fazenda e Planejamento, Henrique Meirelles, e de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira, deu os créditos do evento à FPA. “Essa ideia nasceu aqui, dou o crédito integralmente a vocês e São Paulo abraçou esta ideia. Não haverá nenhuma interferência nos demais salões, eventos e exposições do agro brasileiro que já acontecem. Vamos trazer grandes compradores internacionais como China, EUA, Ásia e mercado europeu para virem ao Brasil e falarem diretamente com os produtores, tanto os cooperativados, como os da indústria do setor agro”, explicou.

A comitiva de Doria trouxe a Brasília dados que medem a importância do setor para a economia paulista: 20% do PIB do agro vêm de São Paulo e o maior exportador de proteína animal do mundo é o Porto de Santos. Parlamentares da Frente puderam também agradecer o apoio do estado à renovação do Convênio 100 – acordo em que os estados abrem mão do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias) nos transportes interestaduais de insumos agropecuários.

“Nós estamos completamente alinhados com o setor. Somos um governo desonerador. Não temos medo de reduzir os impostos quando necessário, sem comprometer o equilíbrio fiscal, para melhorar a condição também do agro. Fizemos isso recentemente, quando eliminamos o ICMS sobre as hortaliças lavadas e embaladas. Isso reduziu o preço do consumidor final e estimulou os micro, pequenos e médios produtores de hortaliças no interior do estado de São Paulo”, pontuou.

“A pior praga é a desinformação”

Durante a reunião, as entidades do setor rural lançaram uma plataforma de informações: o AgroSaber. Com o tema “A pior praga é a desinformação”, sites e redes sociais passaram a disponibilizar informações sobre a produção de alimentos e como eles chegam à mesa do consumidor no Brasil. O objetivo é trazer clareza e desmistificar as notícias falsas – as chamadas fake news – que correm no mundo virtual sobre a produção agropecuária.

Para o presidente da FPA, algumas organizações das mais diversas do Brasil servem para o interesse de outros, buscando empecilhos de natureza ambiental, conflitos com terras indígenas, de quilombolas, questões de natureza fitoterápica, ou seja, todos os tipos de problemas para que não se permita evoluir no processo de produção.

“Quando nós trabalhamos e começamos a ouvir uma série de desinformações que criminalizam a produção agrícola é importante estabelecer aquilo que tem a intenção de proteger a sociedade e aquilo que tem a intenção de colocar barreiras para que não se consiga avançar no volume de produção, o que atrapalha outros mercados. Queremos mostrar a verdade”, enfatiza Moreira.

A plataforma é fruto de uma iniciativa conjunta entre a Associação Brasileira de Produtores de Algodão (Abrapa), a Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), a Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja (ABRASS), Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), a Companhia das Cooperativas Agrícolas do Brasil (CCAB Agro) e o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg).

Tags:
Fonte: FPA

Nenhum comentário