Deral diz que geadas fracas não preocupam para café, milho e trigo do Paraná

Publicado em 24/05/2019 11:22
69 exibições

LOGO REUTERS

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - Apenas áreas no extremo sul do Paraná deverão registrar geadas fracas no final de semana, uma boa notícia para produtores de café, trigo e milho do Estado, que não deverão sofrer qualquer dano decorrente do frio, disseram especialistas do Departamento de Economia Rural (Deral) nesta sexta-feira.

O Paraná já foi um grande produtor de café no passado, mas hoje responde por somente 1 milhão de sacas de 60 kg, de uma produção nacional estimada para 2019 em cerca de 51 milhões de sacas. Hoje o Estado é o maior produtor de trigo e está entre os principais de milho.

Ainda que seja pequena em café comparada com outras áreas do Brasil, a produção paranaense está situada ao norte do Estado, onde não há previsão de geadas.

"No caso do café, a produção está situada mais na região norte, na divisa com o Estado de São Paulo, as previsões do final de semana não apresentam até o momento risco nenhum, vai pegar mais lá embaixo no Estado, na divisão com Santa Catarina", disse o especialista em café do Deral, Paulo Sérgio Franzini.

Segundo o Simepar, órgão meteorológico do Paraná, as geadas serão fracas no sábado, no extremo sul do Estado.

Outras áreas cafeeiras do Brasil, como Minas Gerais, terão temperaturas mínimas mais altas, acima de 10 graus Celsius, ao longo da próxima semana, o que não seriam suficientes para gerar geadas, segundo dados do terminal Eikon, da Refinitiv.

Ainda assim, operadores citavam geadas no Brasil, maior produtor global, para explicar uma alta no mercado de café em Nova York <KCc1>, nesta sexta-feira, com os preços no maior nível em mais de seis semanas.

As geadas poderiam trazer problemas para o Paraná, importante Estado agrícola, para outras culturas de grãos, o que não será o caso.

"A região sul basicamente não tem milho... Impacto de geada no Estado começa na região oeste e norte, onde tem a concentração de milho... Não gera preocupação nenhuma... A palavra que resume bem é que essas geadas são irrelevantes para uma potencial perda de milho no sul", disse o especialista em milho do Deral, Edmar Gervásio.

No caso do trigo, as lavouras em geral ainda estão em desenvolvimento inicial, fase pouco suscetível ao frio, lembrou o agrônomo Carlos Hugo Godinho, responsável por trigo no Deral.

"Trigo e, mesmo para o milho, não tem problema. O trigo, onde está plantado, não vai ter geada, muito provavelmente não vai ter, mesmo que tivesse, a fase em que está, é indiferente, dá para afirmar categoricamente que não vai ter problema", declarou Godinho.

Tags:
Fonte: Reuters

Nenhum comentário