Embrapa recebe R$ 7,8 mi de royalties pela venda de sementes

Publicado em 21/11/2008 16:19 2036 exibições
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) recebeu nesta quinta-feira (20) sua parte dos direitos de propriedade intelectual pela venda [royalties], na última safra, de variedades de soja geneticamente modificadas, desenvolvidas em parceria com a empresa Monsanto. Este ano foram R$ 7,8 milhões destinados à estatal, mais que o dobro recebido no ano passado (R$ 3,2 milhões). O diretor-executivo da Embrapa, José Geraldo França, explicou que o convênio para desenvolvimento dessas variedades de soja tiveram início em 2000, mas as sementes só foram colocadas no mercado em 2005. ?O importante é que esse dinheiro está ajudando a financiar novos projetos de pesquisa, não só da Embrapa, mas de várias outras instituições brasileiras, com a soja, o algodão, o arroz e de biofortificação para culturas plantadas no Norte e Nordeste do país.? Segundo França, esses recursos, que já chegaram a quase R$ 12 milhões com o repasse de hoje, vão para um fundo de financiamento de outras pesquisas. ?Abre-se um edital e são eleitas aquelas [pesquisas] consideradas mais fortes do ponto de vista técnico e de aplicação?, afirmou. Os R$ 7,8 milhões de hoje, vindos de uma parte dos R$ 0,35/kg de royalties cobrados na venda de sementes de soja da Embrapa com a tecnologia Roundup Ready®, da Monsanto, já têm alguns destinos definidos. Serão mais de dez projetos, mas três delas são consideradas prioritárias: incorporação de genes resistentes à brusone, doença que mais afeta o arroz nacional; desenvolvimento de alimentos mais nutritivos, com adição de ferro e vitaminas; e combate a uma doença que quase acabou com as citriculturas chinesa e sul-africana e que está preocupando produtores e cientistas brasileiros.


Fonte: DCI
Tags:
Fonte:
DCI

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário