Análise de Mercado - 12/03/10

Publicado em 12/03/2010 11:40 839 exibições

Suíno vivo<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

(12.03) - Os volumes vendidos de carcaças suínas in natura para o comércio de São Paulo continuam sendo somente regulares. Além do consumo não ter alcançado o ritmo esperado pela indústria local, há negócios, principalmente no atacado, com produtos provenientes de outras regiões, colocados em São Paulo em condições competitivas, o que não deixa de balizar o mercado negativamente, dificultando o repasse de preços alinhados. No mercado físico de cevados do interior do Estado, as vendas estão acontecendo num ambiente ajustado e de cotações firmes. As ofertas encontram-se restritas e constituídas, em grande parte, de animais de peso vivo abaixo das médias costumeiras. (Suinocultura Industrial)

 Suíno vivo

 GO

R$2,80 

 MG

R$2,80 

 SP

R$2,88 

 RS

R$2,33 

 SC

R$2,30 

 PR

R$2,35 

 MS

R$2,15 

 MT

R$2,40 

Frango vivo

(12.03) -Se é verdade que a carne de frango já responde por mais da metade das carnes produzidas no Brasil, no final da segunda década do milênio poderá ser responsável por algo próximo dos 55%, já que a Assessoria de Gestão Estratégica (AGE) do Ministério da Agricultura estima que entre 2009 e 2020 o setor cresça a uma média anual de 3,64%, enquanto o estimado para as carnes bovina e suína é um crescimento médio estimado no momento em, respectivamente, 2,15% e 2,00% ao ano.
Esses índices de crescimento corresponderão, em pouco mais de 10 anos, a uma produção de 16,630 milhões de toneladas de carne de frango, 9,900 milhões de toneladas de carne bovina e 3,950 milhões de toneladas de carne suína.
Então, a produção brasileira de carnes alcançará os 30,5 milhões de toneladas – quase 38% a mais que os 22,144 milhões de toneladas estimados para 2009 – com quase 55% do total representado pela carne de frango, pouco mais de 32% pela carne bovina e 13% pela carne suína.
As médias de crescimento anuais estimadas pela AGE/MAPA correspondem a um incremento total de 49% para a carne de frango, perto de 27% para a carne bovina e de quase 24% para a carne suína. (Avisite)

 Frango vivo

 SP

R$1,55 

 CE

R$2,70 

 MG

R$1,65 

 GO

R$1,60 

 MS

R$1,40 

 PR

R$1,60 

 SC

R$1,50 

 RS

R$1,49 

Ovos

(12.03) - A semana termina com uma forte demanda e com as ofertas bem equilibradas.
Mesmo iniciando um período do mês mais calmo nas vendas, acreditamos que o mercado não terá alterações.  Isto é, a oferta e demanda continuará bem equilibradas.
A semana que vem terminando só não teve mais reajustes em seus preços devido a cautela dos próprios produtores. (Com Informações do Mercado do Ovo)

 Ovos brancos

 SP

R$40,90 

 RJ

R$42,00 

 MG

R$42,00 

 Ovos vermelhos

 MG

R$44,00 

 RJ

R$44,00 

 SP

R$42,90 

Boi gordo

(12.03) - A arroba do Boi Gordo no Estado de São Paulo, segundo informa o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) encerrou a quinta-feira cotada a R$ 78,09, com a variação em relação ao dia anterior de -0,01%.  A variação registrada no mês de Março é de 0,79%. (Valor por arroba, descontado o Prazo de Pagamento pela taxa CDI/CETIP).
O valor da arroba em dólar fechou ontem cotado a US$ 44,12, com a variação em relação ao dia anterior de 0,05% e com a variação de 2,84% no acumulado do mês na moeda norte-americana.
Média ponderada de arroba do boi gordo no Estado de São Paulo - base de ponderação é a mesma usada para o Indicador Esalq/BM&F.
Valores a prazo são convertidos para à vista pela taxa NPR.
A referência para contratos futuros da BM&F é o Indicador Esalq/BM&F.

(Jornalismo Integrado - Assessoria de Comunicação)

 Boi gordo

 Triangulo MG

R$73,00 

 Goiânia GO

R$74,00 

 Dourados MS

R$72,00 

 C. Grande MS

R$72,00 

 Três Lagoas MS

R$72,00 

 Cuiabá MT

R$71,00 

 Marabá PA

R$70,00 

 Belo Horiz. MG

R$74,00 

Soja

(12.03) - A saca de 60 kg de soja no estado do Paraná, segundo informa o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) encerrou a quinta-feira cotada a R$ 33,73. O mercado apresentou uma variação de -0,74% em relação ao dia anterior. O mês de Março apresenta uma variação de -4,83%.
O valor da saca em dólar fechou ontem cotado a US$ 19,06, com a variação em relação ao dia anterior de -0,68%, e com a variação de -2,85% no acumulado do mês.


(Jornalismo Integrado - Assessoria de Comunicação)

 Soja
 Físico - saca 60Kg - livre ao produtor

 R. Grande do Sul (média estadual)

R$36,00 

 Goiás - GO (média estadual)

R$31,00 

 Mato Grosso (média estadual)

R$28,50 

 Paraná (média estadual)

R$33,73 

 São Paulo (média estadual)

R$35,00 

 Santa Catarina (média estadual)

R$34,50 

 M. Grosso do Sul (média estadual)

R$29,50 

 Minas Gerais (média estadual)

R$32,50 

Milho

(12.03) - A saca de 60 kg de milho no estado de São Paulo, segundo informa o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) encerrou a quinta-feira cotada a R$ 18,68 a saca. O mercado apresentou uma variação de 0,56% em relação ao dia anterior e de 2,75% no acumulado do mês de Março.
O valor da saca em dólar fechou ontem em US$ 10,55, com uma variação de 0,62% em relação ao dia anterior, e com a variação de 4,84% no acumulado do mês.
O Indicador Esalq/BM&F à vista, que tem como base Campinas-SP, distingue-se da média regional de Campinas porque utiliza o CDI como taxa de desconto dos valores a prazo. No mercado físico (média regional Campinas), porém, a taxa mais usual é a NPR. Já os valores a prazo são iguais.
 
(Jornalismo Integrado - Assessoria de Comunicação)

 Milho
 Físico - saca 60Kg - livre ao produtor

 Goiás (média estadual)

R$15,00 

 Minas Gerais (média estadual)

R$15,50 

 Mato Grosso (média estadual)

R$10,50 

 M. Grosso Sul (média estadual)

R$14,00 

 Paraná (média estadual)

R$16,00 

 São Paulo (média estadual)

R$18,68 

 Rio G. do Sul (média estadual)

R$19,00 

 Santa Catarina (média estadual)

R$18,50 

Tags:
Fonte:
Uniquímica

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário