Máquinas e implementos agrícolas retomam crescimento

Publicado em 28/04/2010 08:39 1438 exibições
Agrishow serve de vitrine de novos produtos e deverá impulsionar ainda mais o setor.
O segmento de máquinas e implementos para agricultura registrou crescimento de 29,3% no primeiro trimestre de 2010 em relação ao mesmo período do ano passado. O faturamento entre janeiro e março alcançou o volume de R$ 1,4 bilhão. Em 2009, no mesmo período, foi de R$ 1,1 bilhão. A exportação do setor aumentou em 21,1%, subindo de US$ 130 milhões, nos primeiros três meses do ano passado, para US$ 158 milhões em 2010. Os resultados indicam a retomada do segmento que sofreu fortemente com a crise financeira mundial no ano passado.

""Os números mostram que o setor está se recuperando da crise vivida em 2009"", afirmou ontem Celso Casale, presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas (CSMIA), da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamento (Abimaq), durante a 17 Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow 2010), que acontece em Ribeirão Preto (SP).

A expectativa é que o faturamento do setor cresça em torno de 30% em relação a 2009, alcançando os mesmos volumes de 2008, quando o segmento movimentou R$ 9 bilhões. Para isso, a câmara vai batalhar junto ao governo federal pela perenização, principalmente, do Programa Mais Alimento. ""É fundamental a permanencia de programas que atendam médios e pequenos produtores para mantermos o setor em crescimento"", adianta José Carlos Pereira, diretor adjunto da CSMIA. O Programa Mais Alimentos, pontua Casale, faz aumentar a demanda por alimentos e, em consequência, a da indústria de máquinas.

O setor de máquinas, no geral, tem apresentado números tão satisfatórios em 2010 que representantes da Abimaq acreditam que, entre todas as câmaras setoriais da associação, o mês de março tenha registrado o melhor resultado entre todos ""os outros marços anteriores"", por exemplo. Os dados só serão divulgados no início de maio. ""Os números têm apontado que será um faturamento histórico"", reitera Luiz Aubert, presidente da Abimaq. Contudo, ele vê a possibilidade de alta da taxa de juros Selic (o Copom está reunido desde ontem) como um retrocesso a esse processo de retomada de bons negócios.

Na esteira dessas boas expectativas, montadoras de máquinas agrícola que participam da Agrishow aproveitam para conquistar os clientes com inúmeros lançamentos. A John Deere, por exemplo, levou para o evento 50 novos produtos, de cinco segmentos, como tratores, pulverizadores e equipamentos para jardinagem. Entre eles, a colhedora 3522. A empresa também apresenta na feira, a linha de tratores. Dois novos modelos médios, 6110D e 6125D, e três modelos em novas faixas de potência (165cv, 225cv e 270cv). Um destaque é a colheitadeira voltada para pequenos e médios produtores, a 9470 STS. Os grãos são recolhidos por esteiras que os conduzem ao canal de alimentação da colheitadeira, garantindo resultados para diferentes culturas. ""Procuramos oferecer produtos mais eficientes para otimizar o trabalho no campo"", ressalta Paulo Hermann, diretor de vendas da John Deere para a América Latina. Segundo ele, esses 50 lançamentos é o maior da empresa desde que estão no Brasil.

Tags:
Fonte:
Folha de Londrina

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário