Cuidados básicos nas fazendas marinhas garantem retorno futuro da produção

Publicado em 03/05/2010 13:46 339 exibições

Muitos problemas sanitários afetam a aquicultura e eles variam de acordo com o clima de cada região do país. No entanto, os cuidados básicos com as fazendas marinhas são os mesmos e requerem investimentos para que os resultados sejam positivos.

Entre os principais cuidados, estão a compra de alevinos saudáveis e certificados, a preocupação com a densidade do tanque para que os animais não fiquem estressados, a oxigenação da água e a alimentação adequada. A pesquisadora Daniela Tupy de Gody, da Aquavet (Laboratório de Doenças dos Animais Aquáticos) vai dar uma palestra sobre o assunto na Enipec 2010, que começa hoje em Cuiabá, Mato Grosso.<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

— São muitas as doenças na aquicultura parasitárias, bacterianas, virais, fúngicas e o importante é entender que estas doenças vão sempre acontecer quando há um desequilíbrio. Estas doenças vão levar a uma diminuição na produção, a altas taxas de mortalidade e isso vai ter impacto econômico. Por outro lado, quem vai consumir estes produtos é a população porque um animal pode transmitir a doença para o ser humano. É preciso investimentos, mas as medidas preventivas não são caras se você levar em consideração que você vai reduzir o número de animais doentes e os custos de doenças na fazenda. É um retorno que virá no futuro — explica Daniela.

Daniela diz que o primeiro passo para uma fazenda saudável é a compra de alevinos saudáveis, se possível, com certificado de sanidade. Este é um cuidado muito importante porque pode disseminar doenças para todo o resto da produção, então é essencial na hora da compra pensar que estes peixinhos podem levar a doença para dentro da sua propriedade. É melhor gastar um pouco mais na hora da compra, com laboratórios de confiança do que pagar mais barato a princípio e depois ter altas perdas de produtividade e grandes taxas de mortalidade.

— A alimentação também é muito importante tanto para o crescimento quanto para a sanidade do animal. Além disso, tem a questão da densidade do tanque, porque muitas vezes o produtor quer colocar muitos peixes por metro quadrado para produzir mais, mas isso gera estresse para o peixe e pode levar ele a adoecer.

O aquicultor deve tomar cuidado também na qualidade da água, com o nível de oxigênio dissolvido e amônia. Fazer análises da água, controlar a oxigenação também são cuidados importantes, porque vão influenciar no estado fitossanitário do animal e isto terá um grande impacto tanto para a produção do produtor quanto para a saúde pública.

Tags:
Fonte:
Portal Dia do Campo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário