Animais passam fome

Publicado em 05/05/2010 14:44 e atualizado em 02/03/2020 18:39 649 exibições

Produtores de frangos e suínos integrados à Doux Frangosul estão preocupados com a sobrevivência de seus animais. Relatam uma situação difícil que perdura há pelo menos 30 dias. Porcos estão passando fome porque a empresa está atrasando a entrega de ração. O problema se espalha por granjas em Arroio do Meio, Lajeado, Travesseiro, Capitão, Nova Roma e outros municípios onde a Frangosul mantém parcerias. A condição aflige os criadores, que veem suínos se matarem por falta de comida. Eles precisam administrar a situação, diminuindo os tratos e dividindo as rações em pequenas porções. Mas a situação, que já não era boa antes, se tornou insustentável nas últimas semanas.<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

Um produtor de suínos do Vale, que trabalha com 300 matrizes, diz que precisa fazer pedido de ração na segunda-feira, para que possa receber o alimento na sexta. A cada 21 dias entrega leitões para a empresa, que cobra o cumprimento de metas, mas não dá suporte para que elas se concretizem a contento.

Desde que firmou parceria há sete anos, relata que esse é um dos problemas mais graves que tem enfrentado. As explicações da empresa são escassas. “A gente liga para o técnico, que diz que a entrega será normalizada, mas é sempre a mesma conversa.” Ele tenta colher informações até do motorista que lhe leva o provimento a ele. Levantou que não há matéria-prima para fazer ração. A empresa não adota uma postura esclarecedora. “Mas explicações não adiantam muito, nós queremos ver resolvido o problema. A empresa já está atrasando os pagamentos, mas ninguém vai aceitar deixar os bichos morrerem de fome.” Conforme ele, medicamentos e materiais como seringa também estão demorando a chegar.

Dificuldade

O presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs), Valdecir Folador, vem acompanhando o caso há duas semanas, quando começaram a se multiplicar as queixas em relação ao atraso na entrega de rações. Ele fez contato com o presidente da empresa no Brasil, Aristides Vogt, que prometeu que a situação estaria regularizada no fim de semana passado. O problema, contudo, se manteve. A Acsurs obteve informações de que a organização não tem recursos suficientes para tratar os plantéis. “Os fornecedores trancam a entrega de matéria-prima até que a indústria os pague em dia”, salienta Folador.

A falta de comunicação entre empresa e produtores contribui para propagar rumores de que a Doux Frangosul estaria em dificuldades financeiras.

Conforme o presidente da Acsurs, a empresa tem obrigação de conversar com os produtores e deixá-los a par do contexto. “Eles deveriam vir a público, chamá-los e colocar às claras o que está acontecendo.”

Salienta Folador que as dificuldades com a empresa remontam do início de 2009, quando começaram os atrasos nos pagamentos dos produtores. A Doux Frangosul é filial brasileira do grupo francês Doux, que, segundo Folador, passou na época da crise econômica mundial por uma grande turbulência financeira e acabou descapitalizada. Folador declara que os produtores até aceitam o atraso dos pagamentos, mas não toleram que os animais, confinados, passem fome.

O que diz a empresa

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da empresa, em São Paulo. Por e-mail, recebeu a resposta: “A Doux Frangosul esclarece que o atraso na distribuição das rações para os integrados em breve será sanado e garante que, até o final desta semana, o mesmo será liquidado. Neste momento, as equipes internas da companhia estão em contato com os produtores para resolver eventuais falhas na programação. A Doux Frangosul informa que não está vendendo nenhuma de suas unidades e mantém suas atividades dentro de absoluta normalidade".

 

Tags:
Fonte:
Jornal O Informativo do Vale

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário