Vinícolas investem em suco de uvas e vendas crescem 40%

Publicado em 13/05/2010 07:34 345 exibições
Setor voltou a registrar alta nos vinhos, após três anos de queda.
O suco de uva está em alta no Brasil. Este ano, 50% da safra de uvas híbridas foi destinada para a produção da bebida, que em sua versão natural, registrou crescimento superior a 40% na comercialização em 2009, segundo o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). "Desde 2002 a taxa de crescimento das vendas do produto tem ficado entre 10% e 15% ao ano em todas as categorias de suco de uva", frisa Carlos Paviani, diretor-executivo do Ibravin, entidade que junto com 13 vinícolas participa em São Paulo da Feira Internacional de Negócios em Supermercados (Apas 2010). Isto explica porque os produtores dobraram a fabricação de suco de uva no País nos últimos quatro anos.

"O consumidor está buscando produtos que tenham as propriedades da uva, encontradas no vinho, mas sem precisar consumir álcool, e o suco de uva integral é um produto que tem este potencial. No ano passado, a comercialização desta bebida cresceu 48%", acrescenta Diego Bertolini, gerente de promoção e marketing da entidade. Em vista disso, a indústria está mais focada para a categoria. E o Brasil já é um forte exportador de suco de uva concentrado, que chega aos Estados Unidos e Japão em forma de commodity. "As exportações do produto têm uma importância bem grande, embora a mesma tenha diminuído em função do aumento de consumo no mercado interno", observa Paviani. "Com o dólar mais barato é mais vantajoso vender para outros estados do País".

Juciane Casagrande, diretora comercial da Casa de Madeira, empresa gaúcha especializada em sucos, está satisfeita com o crescimento do produto no mercado interno. "O suco de uva é uma opção para quem quer aproveitar os benefícios do vinho, sem consumir álcool, pois tem 42% da eficácia do vinho", diz. Miguel Carraro Neto, gerente comercial da Vinícola Garibaldi, confirma o bom momento do produto. Ele lembra que nos últimos seis anos, a empresa vinha investindo na linha de espumantes, com novos equipamentos. Mas neste ano, o foco será outro: a Garibaldi está investindo R$ 6,5 milhões para ampliar a sua linha de sucos de uva, estimando ampliar a atual produção de 1,8 milhão de litros para 3 milhões de litros em 2011. "No ano passado crescemos 49% nesta área. É um mercado forte para muitos anos ainda", reforça Neto.

Segundo Paviani, o crescimento da produção de vinhos brasileiros previsto para este ano não aconteceu, devido às chuvas. Em contrapartida, em termos de comercialização, o ano passado reverteu um período de três anos de perda de vendas na área de vinhos. "Voltamos a crescer com taxas de 12% a mais que em 2008. O faturamento do setor vitivinícola foi de R$ 1,2 milhão, um resultado muito positivo", diz ele, que estima expansão de 10% para 2010.

Tags:
Fonte:
Jornal do Comércio

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário