A PATACOADA DO ACORDO COM O IRÃ

Publicado em 17/05/2010 16:12 401 exibições
Por Reinaldo Azevedo


Como se afirmou aqui desde o princípio, estava claro que o Brasil e a Turquia conseguiriam “convencer” o governo do Irã. O país aceita agora um acordo nos mesmos termos que havia rejeitado antes: entrega urânio enriquecido a 3% e recebe de volta enriquecido a 20%. Pronto! O mundo pode dormir em paz?

Pois é.  O IRÃ ANUNCIOU QUE CONTINUARÁ A ENRIQUECER URÂNIO A 20% EM SEU PRÓPRIO PAÍS. O que isso quer dizer objetivamente? Que aqueles 120 quilos a 3% — que, segundo o combinado, serão trocados pelos enriquecido a 20% — não são todo o urânio de que dispõe o país. Assim, o seu programa nuclear continua na mesma toada, coberto pelo sigilo de sempre.

Lula é um dos “culpados úteis” dessa história. Ahmadinejad pode festejar. Por quê?  Ganhou tempo. A partir de agora, fica mais difícil para os Estados Unidos defenderem as sanções. Parecerá intransigência. Esse é o resultado parcial da entrada de Lula — com a ajuda da Turquia — como ator global: deixar o Irã mais perto da bomba. E, como lembrou Diogo, o nosso Chamberlain voltará coberto de glórias.

Aliás, uma frase de Churchill entrou para a história quando os primeiros-ministros da Grã-Bretanha e da França — respectivamente, Chamberlain e Daladier — celebraram o Pacto de Monique com Hitler, em 1938: “Entre a desonra e a guerra, escolheram a desonra, e terão a guerra”.

fio_sep_horizontal_485.gif
fio_sep_horizontal_3px.gif

Agora a pesquisa Sensus…

Ô festejo demorado, né? Hoje, foi o Sensus que divulgou a pesquisa que faz para a Confederação Nacional dos Transportes. José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) aparecem empatados, com a petista numericamente na frente: 35,7% a 33,2%, com margem de erro de 2,2 pontos. Há pouco mais de um mês, o Sensus apontou Dilma com 32,4%, e Serra com 32,7%. Há um novo fator de ajuste na praça: os nanicos. Os números acima valem quando eles aparecem no levantamento. Listados apenas Serra, Dilma e Marina, o tucano ainda aparece com ligeira vantagem: 37,8% a 37%. No segundo turno,  Dilma teria 41,8%, e Serra, 40,5%. O que isso quer dizer? Que todos os lados dessa disputa devem esperar as pesquisas Datafolha e Ibope. Só isso. Dados os números anteriores do Sensus e o período em que foi feito este levantamento, eu apostava numa “vantagem” maior para Dilma Mandela.

Tags:
Fonte:
Blog Reinaldo Azevedo (VEJA)

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário