Produtores paulistas que apostaram na safrinha enfrentam problemas

Publicado em 20/05/2010 14:21 242 exibições
Produtores que apostaram na plantação do milho safrinha, no oeste de São Paulo, estão enfrentando problemas com a ferrugem. A chuva e as baixas temperaturas favoreceram a proliferação do fungo.

Em todo Vale do Paranapanema este ano foram plantados cerca de 95 mil hectares de milho safrinha. Doenças como a ferrugem do milho encontraram clima ideal para contaminar as lavouras.

“É um fungo que está no ambiente e como o clima está muito favorável ao desenvolvimento dela, ela coloniza parte da folha causando prejuízo no enchimento de grãos da planta. Ela reduz drasticamente a produtividade do milho”, explicou o agrônomo Dênis Cimonetti.

O agricultor Hubert Sheffknecht plantou 80 hectares de milho safrinha na propriedade em Pedrinhas Paulista. A ferrugem já infestou praticamente toda a lavoura. Ele afirmou que do jeito que está não compensa mais usar fungicida e a queda na produção deve chegar a dez sacas de milho por hectare.

“Não compensa investir mais porque não tem seguro e o preço do milho é muito ruim”, falou Sheffknecht.

Com a planta já grande a pulverização com tratores fica praticamente impossível. Por isso, muitos produtores buscam uma solução que vem de cima.

O custo para pulverizar a lavoura é alto. Sai em média de R$ 28 por hectare. O agricultor Dirceu Parmegiani plantou nesta safra mais de 170 hectares de milho safrinha. Depois de fazer os cálculos decidiu contratar o serviço da empresa que faz a pulverização. Se tudo der certo, ele deve colher 65 sacas do grão por hectare plantado.

A previsão é que o Estado de São Paulo produza 750 mil toneladas de milho na safrinha.
Tags:
Fonte:
Globo Rural

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário