Com recursos, Fundecitrus renova ações nos pomares paulistas

Publicado em 28/05/2010 15:58 679 exibições
Ministério da Agricultura deverá repassar R$ 2,5 milhões.

O novo secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura (Mapa), Francisco Jardim, revelou nessa semana que o governo deve repassar R$ 2,5 milhões ao Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), que recentemente suspendeu as ações de erradicação e fiscalização contra pragas nos pomares paulistas diante do fim do convênio com o governo de São Paulo. Agora, os trabalhos de fiscalização de propriedades são única e exclusivamente de responsabilidade da Secretaria de Agricultura, por meio da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA).


”Estamos reestruturando nosso trabalho e passando a atuar com uma nova estratégia: a prevenção das doenças junto aos produtores e evitar que eles sejam penalizados”, diz Lourival Carmo Mônaco, presidente do Fundecitrus. Ele explica que o convênio com a Secretaria da Agricultura de SP ficará apenas no âmbito técnico-científico e de pesquisa, como na incorporação de tecnologias e o envio de amostras para o Centro de Diagnósticos de Pragas e Doenças de Citros.


Lourival revela que a parceria com o Mapa vem desde 2005 e que o valor anunciado para repasse em 2010 é suficiente para apenas um ano de trabalho. “Os recursos serão fundamentais para implementar as ações de educação fitossanitária, prestação de serviços e capacitação dos produtores, que precisam se organizar através associações ou condomínios para que este novo foco de ação surta efeito”, detalha o dirigente. 


O Fundecitrus está promovendo ainda um mapeamento regional mais detalhado das enfermidades que afetam os laranjais paulistas. O objetivo é antecipar o combate às doenças e reduzir custos com herbicidas ou fungicidas. “Na região de Avaré, no sudoeste do estado, a doença mais comum neste momento é podridão floral dos citros, que provoca a queda dos frutos e a perda de até 80% da produção quando atinge os pomares de laranja”, exemplifica Lourival.


De acordo com o presidente do fundo, as perdas por doenças já atingem 20% da produção paulista de laranja. “O levantamento amostral das duas doenças quarentenárias – greening e cancro cítrico – revela uma tendência de crescimento na infestação e incidência em todo o estado. É uma situação preocupante”, alerta Lourival Carmo Mônaco. 

Tags:
Fonte:
Campo News

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário