Mapa institui Agricultura de Baixo Carbono

Publicado em 07/06/2010 16:07 1140 exibições

Além da produção de alimentos e bioenergia, a agricultura é importante aliada na redução de gases de efeito estufa. Para aumentar essa contribuição ao meio ambiente, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) instituiu o programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC). A iniciativa prevê a aplicação de R$ 2 bilhões em técnicas que garantem eficiência no campo, com balanço positivo entre sequestro e emissão de dióxido de carbono (CO2).

O programa integra as ações do Plano Agrícola e Pecuário 2010/2011, anunciado nesta segunda-feira (7), pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da Agricultura, Wagner Rossi.
O investimento será direcionado à adoção de práticas sustentáveis no campo, como o plantio direto, que dispensa o revolvimento do solo com grades e arados, ao fazer a semeadura direto na palha da cultura da safra anterior. Esse procedimento preserva os nutrientes do solo, aumentando a produtividade da lavoura. Com o ABC, o Ministério da Agricultura pretende ampliar, em dez anos, a área atual com uso da técnica em oito milhões de hectares, passando de 25 milhões para 33 milhões de hectares. Esse acréscimo vai permitir, nesse período, a redução da emissão de 16 a 20 milhões de toneladas de CO2 equivalentes.


Outro mecanismo que garante a retenção de carbono no solo é o Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). O agricultor pode alternar pastagem com agricultura e floresta numa mesma área, recuperar o solo e ainda incrementar sua renda. A meta do programa é aumentar, na próxima década, a utilização do sistema em quatro milhões de hectares, reduzindo, neste intervalo, de 18 milhões a 22 milhões de toneladas de CO2 equivalentes.


O plantio de florestas comerciais com espécies como eucalipto e pinus também reúne renda extra para o produtor com balanço positivo de emissão de carbono. A meta do ministério é aumentar a área, até 2020, de seis milhões de hectares para nove milhões de hectares de florestas. Isso poderá resultar na diminuição, em dez anos, da emissão de oito milhões a dez milhões de toneladas de CO2 equivalentes.


O programa ABC vai garantir recursos a agricultores e cooperativas, com limite de financiamento de R$ 1 milhão por beneficiário. O crédito será financiado com taxa de juros de 5,5% ao ano e prazo de reembolso de 12 anos.


 

Tags:
Fonte:
Mapa

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário