Produtividade das lavouras de cana em MT contabilizam queda de até 3%

Publicado em 15/09/2010 13:36
300 exibições

As lavouras de cana-de-açúcar em Mato Grosso já contabilizam queda de até 3% na produtividade. O motivo é a falta de chuva que vem atingindo todo o Brasil, mas principalmente o Centro Sul brasileiro que apresentou uma quebra agrícola de 9,1%, no mês de agosto, quando comparado com agosto de 2009. Apesar da redução, os produtores do Estado ainda acreditam que a estiagem deve cessar até o final deste mês, interrompendo com a probabilidade de haver queda mais expressiva na produtividade da safra.

Mas o diretor executivo do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindalcool), Jorge dos Santos não esconde a preocupação se as chuvas não ocorrerem no início da segunda quinzena do mês de setembro. "Isso poderá atrapalhar a germinação da cana, que foi plantada em janeiro deste ano e deverá ser colhida a partir de abril do ano que vem". Apesar desse cenário, dados divulgados no início deste mês pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) apontam aumento na produtividade em 3,8%.

Conforme o levantamento, a média colhida nas lavouras mato-grossenses deverá ser de 71,8 toneladas por hectare, ante aos 69,1 t/ha da safra 2009/2010. Enquanto o média brasileira deverá ser de 79,7 toneladas por hectare colhido, volume que será 2,20 menor no que foi registrado na temporada passada de 81,5 t/ha. Segundo o Diretor Técnico da União da Indústria de Cana-de-açúcar (UNICA), Antônio de Padua Rodrigues, a área de cana a ser colhida na safra 2010/2011 deve crescer pouco mais de 10,8% em relação à safra anterior.

"Por outro lado, o volume de cana processada no Brasil até o momento apresentou um crescimento mais acentuado, de 19,03%, mesmo com a queda de produtividade do canavial. Portanto, é fácil concluir que a safra está avançada em mais de 8,0%, e deve avançar ainda mais no mês de setembro devido à pouca moagem verificada em setembro de 2009," explica Rodrigues. Em Mato Grosso a produção poderá alcançar 14 milhões de toneladas.

Etanol - Os preços do etanol seguem competitivos nos postos de combustíveis de 12 Estados brasileiros, incluindo Mato Grosso, em relação à gasolina, de acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A vantagem do etanol é calculada considerando que o poder calorífico do motor a álcool é de 70% do poder nos motores à gasolina. No cálculo, são utilizados valores médios coletados em postos. Em Mato Grosso, o preço do etanol está em 58,33% do preço da gasolina.

Tags:
Fonte: Gazeta Digital

Nenhum comentário