SERRA E O MEIO AMBIENTE, por Xico Graziano

Publicado em 07/10/2010 10:35 e atualizado em 14/10/2010 16:14
1029 exibições
Marina Silva pode, ou não, apoiar a candidatura de José Serra no segundo turno. Veremos sua decisão. De uma coisa podem estar certos: ela conhece, e bem, nossa posição sobre a agenda da sustentabilidade. E a valorosa Senadora do Acre sabe que o governo de Serra em São Paulo tomou medidas efetivas, com bons resultados, na defesa ecológica. Ela testemunhou, lá em Copenhague, na COP-15, aousadia paulista na defesa do clima.

Marina Silva também sabe, há mais tempo, da proximidade do PSDB com a agenda socioambiental, desde quando realizou exitosas parcerias com Ruth Cardoso, no programa Comunidade Solidária. Descobriu, naquela época, a ligação do então presidente Fernando Henrique Cardoso com a agenda global, fato importante para o sucesso da grande Conferência Rio-92.

Ela viu nascer, durante o governo de FHC, as legislações estruturantes do SNUC (Sistema Nacional de Unidades de Conservação) e dos Recursos Hídricos e da ANA (Agência Nacional das Águas), e as leis normatizadoras de Educação Ambiental e dos crimes ambientais. Apoiou a elevação da reserva legal na Amazônia de 50% para 80%, bem como a criação das reservas extrativistas, pelas quais militava com Chico Mendes. Marina Silva respeita a história tucana na questão da sustentabilidade.

José Serra visualiza o ambientalismo a partir de um raciocínio desenvolvimentista. Seu grande mentor se chama Ignacy Sachs, o economista que é pai do Ecodesenvolvimento. Economia Verde é o grande conceito para Serra.

Ele defende que o ativismo do Estado e a educação ambiental, que forma o cidadão consciente, impulsionarão uma nova economia, não predatória e de baixo carbono. O mercado vai valorizar o produto ecológico e depreciar o poluidor.

Contando com total apoio, trabalhei ao lado de José Serra no governo de São Paulo. Criamos uma agenda estratégica na Secretaria de Meio Ambiente. Menos discussão, mais resultado, me orientou o Governador. Surgiu, assim, o ambientalismo em ação.

Agimos de forma transparente e articulada, com respaldo do CONSEMA (Conselho Estadual do Meio Ambiente) e da Assembleia Legislativa. Estabelecemos parcerias de trabalho com as entidades ambientalistas, como a SOS Mata Atlântica, o WWF, o Greenpeace, o Instituto Socioambiental (ISA), a Amigos da Terra.

Negociamos com o setor produtivo, na construção civil, na indústria, na agricultura, as medidas necessárias para avançar na proteção do Meio Ambiente. São Paulo fez com orgulho sua lição de casa ambiental.

Fatos são mais importantes que palavras. Destaco aqui 21 ações ambientais concretas do governo Serra:

1) Fim dos lixões municipais;
2) Aprovação da lei de mudanças climáticas;
3) Projeto "Criança Ecológica, de educação ambiental;
4) Fortalecimento da CETESB, unificando o licenciamento ambiental;
5) Apoio ao ecoturismo;
6) Reforço da Polícia Ambiental;
7) Fortalecimento dos comitês de bacias hidrográficas;
8) Descentralização via Município VerdeAzul;
9) Elaboração dos planos de manejo e estruturação dos conselhos dos parques;
10) Nova regulamentação dos mananciais metropolitanos;
11) Recuperação das matas ciliares;
12) Fim das queimadas de cana;
13) Proteção absoluta da Serra do Mar;
14) Licenciamento obrigatório dos postos de gasolina;
15) Financiamento da economia verde na Nossa Caixa Desenvolvimento;
16) Apoio à pesquisa científica sobre biodiversidade;
17) Redução do desmatamento no Estado;
18) Lei de proteção do cerrado paulista;
19) Combate à madeira ilegal da Amazônia;
20) Taxa de reposição florestal;
21) Introdução do pagamento por serviços ambientais aos agricultores familiares.

O município de São Paulo, com Eduardo Jorge à frente, implantou a inspeção veicular ambiental obrigatória, tendo a CETESB como agente técnico do inédito programa.

Junto com Fábio Feldman e muitas entidades, o governo estadual acionou na Justiça a Petrobras e a ANP exigindo, e parcialmente conseguindo, através de acordo judicial, a distribuição do óleo diesel limpo (D 50) nas dez maiores regiões metropolitanas do Brasil.

Nem o PSDB nem José Serra temem o debate ambiental, pois nós somos protagonistas da agenda da sustentabilidade. Baseado no conteúdo das ideias e na prática das ações, demonstramos vontade e tranquilidade para receber o apoio dos verdes no segundo turno das eleições presidenciais para José Serra.

Aliados ao PV, juntaremos forças e, certamente, vamos acelerar a construção da economia verde do futuro.
Bom para o Brasil. Melhor para a cidadania.

Xico Graziano é engenheiro agrônomo pela ESALQ, mestre em Economia Agrária pela FGV e doutor em Administração pela FGV. Foi deputado federal (PSDB-SP), presidente do Incra e Secretário da Agricultura e do Meio Ambiente de São Paulo. É coordenador do programa de governo de José Serra.
Tags:
Fonte: O Estado de S. Paulo

16 comentários

  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Quero retificar minha última maifestação aqui, quanto a data do evento em Nagoya, Japão, o qual será dia 19/10/2010. Estou acompanhando essa novela Marina x qualquer um, desde que o "um" assuma a agenda ambiental do absurdo. Um sujeito da área ambiental chegou ao extremo ao dizer qua o agronegócio é um "fator de conflito". Quando é para dizer em Copenhague que o que pode servir de modelo para o mundo para preservar o meio ambiente no Brasil é feito pelo agronegócio, eles não consideram de conflito. Eu perguntaria aos Ambientalistas o que eles estão fazendo para produzir preservando que pode ser recomendado como modelo para o mundo? Nada? Então nos respeitem! Um dos maiores sinais de subdesenvolvimento brasileiro está nessa agenda ambiental onde meia dúzia querem impor ao Brasil coisas que eles nunca fizeram, não vão fazer e pensam que nós não sabemos quem está por tráz deles e de quem eles estão defendendo interesses. Conclamo aos colegas produtores, deputados e senadores por nós eleitos a nos defenderem. Nós já conhecemos o filme que querem acabar com o Brasil, nos tratando como que vivessemos na idade da pedra. Isso não vamos aceitar de jeito nenhum.
    Abraços.
    Almir Rebelo

    0
  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Para nós gaúchos depois de assistir a Desiree´fazer a previsão de La Nina teremos que procurar uma benzedeira! É o Código Florestal, La Nina e Protocolo de Cartagena! Sabiam que desde 11/10/2010 estão reunidos em Nagoya, Japão, a turma da ONU para discutir "O movimento Transfrontiriço de OGMs(Transgênicos) para outros Países, onde serão definidos quem e como serão pagos os "possíveis" prejuízos que os OGMs poderão causar á Biodiversidade dos Países que comprarão esses produtos. Primeiro, eles ainda não conseguiram definir o que é Dano! Há vários anos estamos conseguindo adiar essa tentativa de golpe contra o Brasil com essa barreira tarifária/comercial/ambiental contra o desenvolvimento de nosso País. Estão querendo inventar um custo de 10% sobre o valor do produto exportado, mas quem vai pagar, como sempre, é o Produtor Rural. João Batista, dizem qua o raio não cai mais de uma vez no mesmo lugar! Será? Mas sempre na nossa cabeça? E o que é pior! Ninguém está cpmentando isso que será desastroso para a agricultura brasileira se essa gente conseguir aprovar. Sabem quam esá por tráz disso? AS ONGs, as mesmas que estão contra os transgênicos, contra o Código florestal, contra as ferrovias/rodovias/hidrovias, contra quem produz. Pois o tal de PV parece que é formado por menos de 5.000, e estão querendo juntamente com a Marina decidir prejudicando mais de 5 milhões de produtores brasileiros. São muito cara de pau!!! Mas a nossa sorte é o Congresso Nacional, que deverá, dar a palavra final sobre o Código Flortestal, Potocolo de Cartagena, assim como seus sobre os transgênicos. Infelizmente ninguém poderá resolver a questão "La Nina" que vai atingir nosso amado Rio Grande, mas ainda bem que não prejudicará vocês demais irmãos brasileiros. Confesso que estamos com inveja de vocês. Rezem por nós e acreditemos no Congresso Nacional e no Povo Brasileiro.
    Abraço.
    Almir Rebelo

    0
  • Claudio Luiz Galvão Cuiabá - MT

    Corrigindo: no comentário antrior eu quis dizer que o PT apóia o MST e coloca em risco o direito a propriedadeentre outras cosas.

    0
  • Claudio Luiz Galvão Cuiabá - MT

    Caro amigo João Batista, gostaria que vc desse uma atenção especial a este assunto, convocase algumas lideranças politicas que defendem o agronegócio, tanto os da base do governo como da oposição, sei que dos dois lados existem ongueiros como este Carlos Sampaio do PSDB e Zequinha Sarney que ápóia Dilma. Faz um levantamento de quantos votos nós produtores rurais temos, e qual poderia ser o peso desses votos neste segundo turno. Vamos mostrar quem realmente tem condiçoes de proteger as florestas e as nascentes, pois sem apoiodo homem do campo que arisca a própria vida para apagar um incendio, que um irresponsavel qualquer deu inicio jogando uma bituca de cigaro na estrada.
    Nós estamos entre o fogo e a frigideira, de um lado temos o PT que apóia o MST e o direito a propriedade entre outrs coisas, de outro temos o PSDB que para ganhar a eleição, pode rezar na cartilha das ONGs mal intencionadas, que são financiadas por organizações internacionais para engessar a produção de alimentos no Brasil.
    O ASSUNTO É SÉRIO, E PRECISAMOS DECIDIR AGORA..... INVASÃO DE TERRAS PELO MST OU VAMOS CONTINUAR A SERMOS TRATADOS COMO CRIMINOSOS PELO MP, DEVIDO A UMA LEI AMBIENTAL ARCAICA E INAPLICAVEL, ONDE SÓ O HOMEM DO CAMPO É PUNDIDO SIMPLESENTE POR PRODUZIR ALIMENTO.

    0
  • Valter Ambiel Itanhangá - MT

    Escreva o que desejar aqui e cliqueLÍDER DO PSDB AMEAÇA BARRAR O RELATÓRIO DE ALDO REBELO
    O vice-líder do PSDB na Câmara, deputado federal Carlos Sampaio, quer convencer a bancada do seu partido a rejeitar o projeto de Aldo Rebelo.

    Em seu blog Carlos Sampaio, que diz ser o único candidato das eleições deste ano a usar apenas papel 100% reciclado, classifica Aldo de "neo-ruralista" e promete votar contra as mudanças no Código Florestal apresentadas na proposta. O parlamentar também avisa que vai usar seu cargo de vice-líder do PSDB para influenciar sua bancada na Câmara a fazer o mesmo. “Se não conseguir convencer a bancada, votarei contra. Aprovar esse substitutivo é votar contra o meio-ambiente, contra a sociedade e contra a vida”, enfatiza.

    Com uma lógica rocambolesca, o Deputado Sampaio diz que, ao possibilitar que pequenas propriedades não tenham que recuperar o passivo de Reserva Legal, o novo Código Florestal deixa de proteger justamente o pequeno agricultor. Sampaio é paulista de Campinas, ex promotor de justiça e é candidato à reeleição ao cargo de Deputado Federal.

    PS: A turma do PSDB está jogando para a platéia, não se importando em corrigir os graves efeitos causados pelo Código Florestal junto aos brasileiros do campo.
    em "enviar".

    0
  • LEVINO DIAS PARMEJIANI Cacoal - RO

    Agimos de forma transparente e articulada, com respaldo do CONSEMA (Conselho Estadual do Meio Ambiente) e da Assembleia Legislativa. Estabelecemos parcerias de trabalho com as entidades ambientalistas, como a SOS Mata Atlântica, o WWF, o Greenpeace, o Instituto Socioambiental (ISA), a Amigos da Terra.
    SOCORRO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    0
  • LEVINO DIAS PARMEJIANI Cacoal - RO

    Ela viu nascer, durante o governo de FHC, as legislações estruturantes do SNUC (Sistema Nacional de Unidades de Conservação) e dos Recursos Hídricos e da ANA (Agência Nacional das Águas), e as leis normatizadoras de Educação Ambiental e dos crimes ambientais. Apoiou a elevação da reserva legal na Amazônia de 50% para 80%, bem como a criação das reservas extrativistas, pelas quais militava com Chico Mendes. Marina Silva respeita a história tucana na questão da sustentabilidade

    0
  • LEVINO DIAS PARMEJIANI Cacoal - RO

    DILMA, MINC, MARINA, LULA, DECRETO 6514/2008.....
    FHC, SARNEI FILHO, LEI 9605, DECRETO 3179. MP 2166, SERRA,....
    SOCORRO!!!!!!!!!!!

    0
  • LEVINO DIAS PARMEJIANI Cacoal - RO

    O candidato que for contra o Código Florestal aprovado pelo Aldo Rebelo não terá o voto dos produtores rurais. Preste atenção SERRA.

    0
  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Quero cumprimentar as pessoas que estão opinando sobre esse extremamente importante assunto. Eu não tenho dúvidas que continua a guerra branca entre quem produz e preserva e quem não produz nada e pensa que preservar é somente dar palpites teóricos. Como estamos avançando na produção com preservação ambiental através do plantio direto, biotecnologia, integração lavoura/pecuária, recuperação de áreas degradadas e enfrentando outra armação contra o Brasil que é o Protocolo de Cartagena, é importante dizer aos nossos Deputados Federais e Senadores que está na hora deles defenderem o produtor rural, o meio ambiente e o Brasil. Entendo que esse assunto deverá ser decidido pelo congresso nacional num grande debate já iniciado e em andamento através do Novo Código Florestal ou ambiental já aprovado pela Comissão na Câmara Federal cujo relator foi o Dep Aldo Rebelo e presidido pelo Dep Micheletto. O mais prudente seria que esse assunto fosse decidido pelo Congresso Nacional e que NÃO fosse assumido nenhum compromisso pelos candidatos agora pois esse assunto é tão importante para o Brasil quanto a eleição mas o presidente eleito precisa dialogar com o congresso para não assumir compromisso antecipado que poderá ser politiqueiro e prejudicar o País. Alguém sugere uma moratória ao desmatamento até que se chegue a um consenso. Até poderá ser se for decidido em tempo hábil que não prejudique os produtores e o Brasil. Mas o mais prudente talvez fosse a continuação do debate aonde está que é o Novo Código Florestal já aprovado na Comisão. Se é verdade que os "verdes" são pouco mais de 5.000 é preciso que se onça os milhões de produtores rurais para saber o que estes preferem. Mas vamos ao debate. Abraços.
    Almir rebelo

    0
  • Valter Ambiel Itanhangá - MT

    Tá na hora dos Produtores Rurais abrirem o olho com o Serra. Esse tal de Xico Graziano defende a agenda ambiental das ONGS ambientalistas, greenpeace, WWF, SOS Mata Atlântica. Quem duvidar, é só entrar no site dele, www.xicograziano.com.br.
    Serra é contra o novo Código Florestal, Xico Graziano coordenador de sua campanha também é contra. FHC então nem se fala, aumentou os limites de Reserva Legal via MP 2.166/2001, transformou o Estado de Roraima em Reserva Indígena, com a criação da reserva Raposa do Sol. O Serra declarou abertamente no Jornal da Globo dessa semana que é ambientalista! Esses dias tava assistindo na Tv Senado, Fernando Gabeira(PV) e Ricardo Trípole(PSDB), fizeram audiência Pública para ir contra a construção de dois terminais portuários em Ilhéus na Bahia, terminais que serão necessários com a construção da Ferrovia Leste-Oeste. Que começa em Vilhena(RO), passa por Lucas do Rio Verde-MT, Uruaçu(GO), e vai até Ilhéus na Bahia. Antes de me criticarem por favor entrem no Site de Xico Graziano, conheça o folhetim Economia Verde, vocês vão conhecer o que pensam o Tucanato, que são da turma que acreditam no aquecimento global e são contra o pré-sal, porque energia fóssil produz Co2, e esse aquece o planeta! Bom, é nisso que acreditam os tucanos. É isso que vc quer para o Brasil??? que seja então consciente!!!

    0
  • Marcio Antonio Cezarotto Santarém - PA

    Voto Dilma, por ter dando um pontapé na Marina, Ongueira Mor.
    Serra me lembra FHC com o seu ministro verde, Sarney filho, até os dias de hoje colhemos este mal.

    0
  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Como eu conheço o que as ONGs que estão com a marina são capaz de fazer contra Nós e o desenvolvimento Brasileiro eu temo qualquer acordo que possa ser feito com essa gente. Acredito que tu tens razão Caludio Luiz Galvão, concordo com o que colocaste. Mas o Ministério do meio Ambiente já está declarando que o Novo código ambiental precisa ser mudado para rebentar com o produtor rural. E eu entendo que é isso que segnifica a questão " Meio Ambiente" postado pela Marina junto com educação e saneamento para conquistar o Serra. Vamos ficar atentos e se necessário cobrar dos nossos Deputados e senadores para defender o Brasil na hora que precisarmos. Para isso votamos neles.
    Almir Rebelo

    0
  • Claudio Luiz Galvão Cuiabá - MT

    90% dos votos que a Marina silva teve não tem nada a ver com o Partido Verde, mesmo que ela fosse de outro partido como PDT, PHS ou qualquer outro partido ela iria ter a votação que ela teve.
    O motivo que levou as pessoas a votarem nela não tem nada ou quase nada a ver com meio ambiente, o que levou a maioria das pessoas a trocarem o voto foi por questão de ÉTICA e MORAL, devido aos repetidos escandalos envolvendo a Casa Civil, Receita, tentativa de calar a imprensa, aborto etc.
    Votando na Marina o eleitor sabia que estava fazendo sua parte, levar as eleições para o 2º turno, ai sim conseguir ver quem é quem.
    Uma coisa é certa o Candidato que se comprometer a rezar na cartilha do PV, nas questões ambientais mais radicais como defende o Ze Sarnei, Carlos Minc a própria Marina e as ONGs por traz deles, sem sombra de duvida vai perder o apoio do produtor rural.
    Vai ser 6 por meia duzia.

    0
  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Nós produtores somos contra o Desmatamento zero, primeiro porque existe uma lei onde proprietários ainda não desmataram o percentual que eles precisam para sobreviver. Segundo, porque quem deverá sinalizar se não devemos mais desmatar para produzir alimentos é o crescimento vegetativo da população e o desenvolvimento econômico dos Países. Desta forma o Brasil, tem tecnologia para produzir preservando desmatando apenas o necesssário. Mas Nós produtores rurais, podemos aumentar de forma altamente significativa a produção de alimentos sem desmatar. De outra forma a visão de desmatamento zero está errada. A produção de alimentos naturalmente é feito através de plantas que são mais eficientes em emitir menos carbono(menos gases de efeito estufa) e sequestram mais carbono, muito mais do que as florestas. O Enfoque está errado. Temos que ser a favor do desenvolvimento brasileiro. Quem produz preservando é o produtor. Este precisa ser ouvido. Afinal ele sabe o que está fazendo e está pagando para produzir preservando o meio ambiente. A sociedade precisa pagar ao produtor por serviços ambientais. O produtor pode fazer muito mais do que está fazendo mais a sociedade urbana tem que ajudar.
    Almir Rebelo presidente do Clube Amigos da Terra de Tupanciretã RS

    0
  • Marcio Antonio Cezarotto Santarém - PA

    Precisamos lembrar do passado para imaginarmos o futuro. O FHC teve como seu ministro do Meio Ambiente o Sarney Filho, o Lula teve Marina Silva por longos 6 anos. A Dilma meteu o pé na b. da Marina pra poder fazer alguma obra no Brasil, nem estradas, planejadas pelos militares, estavam sendo possíveis.
    A Julgar pela mente de Serra, aproximando-se de Marina, estaríamos mortos enquanto produtores.QUE VENDAM suas agendas ambientais para a União Européia e USA, depois eu compro também. Dilma nesta CORJA!!!!

    0