Aborto dá o tom na volta da propaganda eleitoral no rádio

Publicado em 08/10/2010 12:13
374 exibições



Os candidatos à Presidência Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) estrearam na manhã desta sexta-feira seus programas de rádio para o segundo turno e a discussão sobre o aborto não ficou de fora da agenda, ainda que o tema tenha sido citado apenas de forma indireta.

Dilma utilizou-se do escudo que a vem blindando desde o início da campanha: o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele entrou no ar para dizer que a candidata do governo vem sendo vítima de uma campanha suja do adversário. Lula afirmou que está vendo acontecer com Dilma o mesmo que houve com ele nas eleições passadas: rivais do submundo da política dizendo que ia fechar igrejas e mudar cor da bandeira. O presidente garante, ainda, que a gestão petista trouxe mais escolas e mais liberdade religiosa.

Dilma também falou sobre o tema, depois de agradecer a Deus por este segundo turno. Quero, neste segundo turno fazer uma campanha, antes de tudo, em defesa da vida, disse a candidata. Vamos também debater com muita clareza qual dos dois modelos que estão aí é melhor para o futuro do país. E fazer isso sem mentiras, sem ataques pessoais e sem agressões.

Serra também abordou o tema, mas na forma de jingle. Quando Dilma deu as ordens/ Foi para Jesus/ Aumentou o caos aéreo/ E a conta de luz, diz um trecho de umas das músicas do candidato. O tucano ainda disse que não se pode colocar na cadeira de presidente, em 1º de janeiro do ano que vem, alguém que a população não saiba realmente quem é, o que pensa, o que fez e o que pretende fazer.

O presidenciável do PSDB criticou também o governo Lula.Não há nada pior para o Brasil do que ter governos em que haja mau comportamento, que serve de péssimo exemplo para a população, disse. Nós precisamos ter um governo que mostre para a população que trabalhar vale a pena, estudar vale a pena, ser decente vale a pena, completou.

O fator Marina  Se em uma coisa Dilma e Serra concordam é a respeito da importância do apoio da senadora Marina Silva (PV), terceira colocada na disputa com cerca de 20 milhões de votos. Enquanto ela não define que lado seguirá nesta segundo turno, os candidatos se aproveitam para tomar para si o eleitorado verde, somando os votos de Marina aos seus.

No programa de Dilma, foi comemorado o fato de os brasileiros deram 67 milhões de votos para mulheres. Já Serra afirmou que 55 milhões de brasileiros rejeitaram a candidata petista.

Tags:
Fonte: Veja.com

Nenhum comentário