Doux Frangosul tenta nova solução para pagar dívidas com integrados

Publicado em 13/10/2010 10:19
558 exibições
A novela sobre os atrasos nos pagamentos da Doux Frangosul aos criadores integrados de aves e suínos ganhou mais um capítulo. Após furar três cronogramas apresentados para regularizar o problema desde 2009, a empresa decidiu apelar para uma triangulação financeira para quitar os débitos, que em alguns casos já estão vencidos há mais de dois meses além do prazo contratual de 30 dias após a entrega dos animais para abate.

A proposta foi apresentada à Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag-RS), que representa os integrados gaúchos, na semana passada. Prevê que os criadores tomem empréstimos equivalentes aos créditos que detêm em bancos "parceiros" da empresa, que será a avalista da operação e a responsável pela quitação dos financiamentos.

"Somente nos próximos dias teremos uma avaliação mais precisa sobre o nível de adesão à proposta", disse o presidente da Fetag-RS, Elton Weber. Segundo ele, o próprio presidente mundial do grupo Doux, o francês Charles Doux, esteve na sede da subsidiária brasileira, em Montenegro (RS), há cerca de 15 dias, para fechar a proposta. Alguns produtores sinalizaram que devem aceitar a oferta, mas outros protestaram em frente à empresa na semana passada.

Procurada, a Doux não concedeu entrevista. Em nota, afirmou que a "solução para a quitação integral do valor devido" reafirma o "comprometimento no Brasil".

Conforme Weber, uma análise da proposta feita pelo departamento jurídico da Fetag-RS e encaminhada aos sindicatos filiados no interior do Estado indica que ela pode ser uma solução "viável" para quem está precisando do dinheiro rapidamente. Mesmo assim, a entidade não recomenda nem desaconselha a adesão e deixa a decisão a cargo de cada integrado.

Os empréstimos serão tomados em linhas comerciais, que não comprometem os limites de endividamento dos criadores nos programas de crédito agrícola, explicou o dirigente. Se a Doux não honrar os pagamentos, o integrado que aderir à proposta será inscrito nos cadastros de proteção ao crédito, mas neste caso a própria empresa ficaria com o nome sujo e teria as operações ainda mais prejudicadas, lembrou Weber.

Segundo o presidente da Fetag-RS, a companhia admite dificuldades em obter capital de giro devido principalmente a problemas nas exportações, que representam a maior parte das suas vendas. Mesmo assim, a Doux tem afirmado que a situação vem melhorando nos últimos meses, disse Weber.

Os atrasos começaram em fevereiro de 2009 e fevereiro deste ano, quando apresentou a terceira proposta de cronograma para regularização das dívidas, o diretor geral da empresa no Brasil, Aristides Vogt, disse que os pagamentos aos 2,7 mil integrados no Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul foram comprometidos devido aos efeitos da crise financeira mundial que estourou em 2008 e reduziu a demanda dos países importadores.

Em 2009 a Doux Frangosul teve receita bruta de R$ 1,7 bilhão, com queda de 12,2% frente a 2008. Só as exportações recuaram de R$ 1,6 bilhão para R$ 1,3 bilhão - ainda assim a companhia apurou lucro líquido de R$ 83,2 milhões. No mesmo período os atrasos nos pagamentos aos integrados chegaram a atingir, em alguns casos, quatro meses, além dos 30 dias contratuais. Em abril deste ano, os criadores também enfrentaram problemas no recebimento de rações.

Agora, a expectativa é com a recuperação do mercado global de carne de frango, que pode beneficiar o desempenho da empresa.
Tags:
Fonte: Valor Econômico

Nenhum comentário