No Pará, Simão Jatene tem 20 pontos percentuais de vantagem, aponta Ibope

Publicado em 18/10/2010 09:25 e atualizado em 18/10/2010 11:01
368 exibições

Pesquisa Ibope sobre o segundo turno da disputa pelo governo do Pará divulgada neste sábado indica que Simão Jatene (PSDB) tem 60% dos votos válidos, contra 40% da atual governadora, Ana Júlia Carepa (PT).

Quando contados os votos brancos e nulos (5%) e indecisos (5%), o tucano tem 54%, contra 36% da petista. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Esses números confirmam o favoritismo de Jatene, que quase ganhou no primeiro turno --alcançou cerca de 48% dos votos válidos. Mas Ana Júlia lembrou que o mesmo Ibope, na primeira etapa eleitoral, previu erroneamente a vitória imediata do tucano.

"Cantaram vitória antes do tempo. A verdadeira pesquisa é aquela que aparece após a leitura das urnas. Agora, mais pesquisas me colocam atrás do candidato tucano. Mas nós não acreditamos nessas pesquisas, nós vamos às urnas e à vitória no segundo turno", disse Carepa num comício, segundo sua assessoria.

A pesquisa foi encomendada pela TV Liberal, afiliada da Rede Globo no Estado.  Foram realizadas, entre os dias 13 e 15 deste mês, 812 entrevistas em 40 cidades.

Belo Monte: a defesa da União 1

Está nas mãos da Justiça Federal do Pará a defesa da AGU nos processos que pedem a suspensão da licitação da usina de Belo Monte. Em abril, a União suou para derrubar liminares que cancelavam a concorrência. Agora, terá que vencer as ações no mérito.

Em sua defesa, a AGU cutuca o MP paraense duas vezes. Afirma que querem travar a obra a qualquer custo e que há o fim claro de tumultuar o certame.

Por Lauro Jardim

A AGU também lista os dois principais motivos para a realização da obra. São eles:

*A fonte hídrica de energia elétrica no Brasil é predominante. () A energia decorrente dessa fonte é considerada limpa.

* Os custos médios da energia gerada por outras fontes renováveis: eólica (148 reais/MWh); solar (500 reais/MWh); gás natural (143 reais/MWh); óleo combustível (146 reais/MWh); e carvão (135/MWh). Em Belo Monte, o custo seria de 78 reais/MWh.

Por Lauro Jardim

Tags:
Fonte: Folha de S. Paulo

Nenhum comentário