Eleitores indecisos avaliam que Serra se saiu melhor no debate

Publicado em 18/10/2010 09:36
854 exibições
Em pesquisa feita em SP após o encontro, tucano ganhou 12 votos, e Dilma, 4 Eleitores acham que Serra começou melhor, Dilma se recuperou no meio, mas tucano voltou a crescer ao final

Para um grupo de 27 eleitores que avaliou o debate em tempo real a convite da Folha e da RedeTV!, José Serra (PSDB) se saiu melhor que Dilma Rousseff (PT).
No início do programa, os avaliadores se dividiam assim: 23 indecisos, dois dispostos a votar no tucano e outros dois na petista.
Ao fim do debate, Serra tinha 14 votos. Dilma contava seis votos, e sete eleitores permaneciam indecisos. Ou seja: Serra conquistou 12 indecisos, e Dilma, só quatro.
O resultado acompanha a avaliação do desempenho de cada um: 14 acharam Serra melhor, seis preferiram Dilma e sete não opinaram. A pesquisa foi feita com um grupo reduzido de eleitores de São Paulo e não pode ser usada para avaliar a repercussão do debate no país.
O grupo foi recrutado pela empresa Interactiva, que usa o sistema "view facts". É o mesmo método usado pelos partidos para medir o desempenho dos candidatos.
Os convidados receberam uma espécie de controle remoto para dar notas de 0 a 100 a cada resposta. Ontem, as notas oscilaram entre 40 e 75, o que indica que nenhum candidato teve momentos de grande brilho ou de deslize.
Para os indecisos, Serra venceu três blocos: o primeiro, o quarto e o quinto, de considerações finais. Dilma ganhou o terceiro bloco, de perguntas de jornalistas, e o segundo ficou empatado.
Em seu melhor momento, Serra alcançou 75 pontos ao criticar a entrada de drogas no país. Sua pior nota foi 48, quando teve que responder sobre a denúncia de que Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, teria desviado R$ 4 milhões de caixa dois da campanha tucana.
Dilma teve pico de 70 pontos ao defender investimentos em educação e acusar Serra e o PSDB de não gostar do Enem. A petista caiu aos 40 ainda no primeiro bloco, ao se confundir numa resposta sobre ensino técnico.
De forma geral, os eleitores consideraram que Serra começou melhor, Dilma se recuperou no meio do debate, e o tucano recuperou a dianteira na parte final.
No debate 
Folha/RedeTV! do primeiro turno, em que havia quatro candidatos na arena, Marina Silva (PV) foi a mais bem avaliada, mas Dilma ganhou mais indecisos.

Debate alcança pico de sete pontos no Ibope da Grande SP

O debate entre os presidenciáveis alcançou pico de sete pontos no Ibope. A média durante a transmissão foi de 4,3, segundo dados preliminares. O número representa cerca de 240 mil domicílios da Grande São Paulo.

A maior audiência foi registrada no terceiro bloco, quando jornalistas da Folha e da RedeTV! fizeram perguntas aos candidatos. O share médio (participação dentre os televisores ligados) do debate foi de 6%.
Na 
Folha.com, houve mais de 750 mil acessos (pageviews) durante toda a transmissão ao vivo.

Pancadaria, agora, só em jingle de rádio e em programa de TV

Análise de ELIANE CANTANHÊDE

Saíram o aborto e Deus, citado uma única vez, no início, por Dilma Rousseff (PT). E entrou o amor, palavrinha mágica que José Serra (PSDB) puxou ao falar de programas para deficientes e que Dilma encampou nas considerações finais.
O debate 
Folha/RedeTV! marcou um recuo na estratégia da campanha de Dilma, que tinha ido para o ataque no encontro anterior e ontem optou por uma linha mais sóbria, menos agressiva.
Já Serra manteve o mesmo tom, ora professoral, ora irônico. E os dois preferiram cutucadas e provocações pontuais a ataques de conteúdo.
Pancadaria, agora, só acessoriamente no horário eleitoral da TV e principalmente nos jingles do rádio.
Dilma insistiu no tema privatização, e Serra caiu na armadilha de comparar os governos Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso, cobrando o que ele considerou recuos no Enem, na saúde, no Fundo de Amparo ao Trabalhador e classificando o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) de "publicitário".
Dilma investiu várias vezes contra programas tucanos durante as gestões Serra e Geraldo Alckmin, mas o tucano ironizou: "Parece até que ela é candidata ao governo de São Paulo".
Na disputa pela paternidade de programas, que marcou boa parte do debate, Dilma citou a Rede Cegonha e Serra, o Mãe Paulistana, quando Marta Suplicy gritou na plateia: "Epa!".
Como era de esperar, o bloco mais emocionante, para candidatos e plateia, foi o das questões das jornalistas. Até o gestual de Dilma e de Serra muda nessa hora, quando o debate sai do previsível.
O tucano atrapalhou-se para explicar que não conhecia Paulo Preto, apelido de um funcionário do governo paulista suspeito de ter fugido com R$ 4 milhões da campanha tucana.
Já Dilma tinha na ponta da língua a resposta para a pergunta sobre Erenice Guerra, sua substituta na Casa Civil, acusada de nepotismo e de montar uma central de tráfico de influência no principal ministério do governo.
Nunca antes Dilma tinha sido tão dura com Erenice: "Ela errou", disse, manifestando "indignação". E lembrou que a ministra foi afastada e tudo está sendo investigado -ao contrário do que ocorre com Paulo Preto. Após Lula versus FHC, agora é Erenice versus Paulo Preto.

Tags:
Fonte: Folha de S. Paulo

2 comentários

  • Marcio Antonio Cezarotto Santarém - PA

    Serra está nais verde que papagaio. Em quanto produtor voto contra estes verdes. Salve Aldo Rebelo! Salvem-se os Produtores! Vou Dilmar, a favor de mim mesmo.

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Lamento terem sobrado apenas estas duas [2] "topeiras" para escolher...e a frase da noticia anterior parece correta diante do que vi no debate ontem à noite: "Serra parece convencido de que Dilma nem precisa de ajuda para ser nocauteada" Ela parece que fala para os eleitores que já são dela... arriscando-se a afugentar algum. Serra mostrou mais dominio e personalidade em relação às suas convicções.

    0