Importação argentina de carne bovina dobra e exportações caem pela metade

Publicado em 02/11/2010 09:04
365 exibições

As importações de carne "in natura" feitas pela Argentina podem dobrar neste ano. No ritmo atual de compras, o volume poderá atingir 1.600 toneladas, ante apenas 816 no ano passado.
Além de importar mais, os argentinos terão forte queda nas exportações.
As vendas externas de carne "in natura" somaram 115 mil toneladas nos nove primeiros meses deste ano, 56% abaixo do volume de igual período do ano passado.
Os dados são da Senasa (organismo federal que certifica a qualidade da carne na Argentina).
Os argentinos conseguiram colocar apenas 31 mil toneladas de carne neste ano na Rússia, maior importador do país -queda de 70% ante o volume de 2009.
Esse cenário desfavorável no setor de carne bovina na Argentina foi provocado por forte redução no rebanho, devido à seca e à interferência do governo nos preços.
Os dados mais recentes indicam que o país perdeu 9,8 milhões de cabeças de gado desde 2007. As estimativas atuais indicam rebanho de 48 milhões de cabeças.
As dificuldades de abastecimento e preços elevados fizeram o consumo diminuir.
O país, cujo consumo médio anual era de 80 quilos por pessoa nos anos de 1980, consome cerca de 58 quilos per capita atualmente.

ALUMÍNIO 
+2,91% 

Ontem, em Londres 

PRATA 
+2,84% 

Ontem, em Nova York 

Alta mantida A arroba de boi gordo voltou a subir ontem, sendo negociada a R$ 113,42, mostra média ponderada do Cepea. Apesar da alta, o ritmo de aumento diário é menor do que o da semana anterior. 

Ainda menor A área destinada ao milho nesta safra de verão é ainda menor do que se previa. É o que indicam números da consultoria Céleres. A área fica em 7,6 milhões de hectares, 6,5% inferior ao da safra anterior. 

Produtividade Além de área menor, a consultoria prevê produtividade em queda. Serão 3.900 quilos por hectare, volume que, se confirmado, ficará 2,5% inferior ao da safra anterior. 

Produção Área e produtividade menores vão derrubar a safra de milho para 29,6 milhões de toneladas, 9% menos do que a safra de verão de 2009. 

Recorde As negociações com trigo foram recordes no mês passado na Bolsa de Kansas (EUA).

Estoque de algodão recua 25% na safra 2009/2010

Os estoques mundiais de algodão caíram 25% no final da safra 2009/2010, recuando para 8,9 milhões de toneladas. Os dados são do Icac (International Cotton Advisory Committee).
O comitê prevê uma recuperação mundial dos estoques na safra 2010/2011, para 9,3 milhões de toneladas. Mesmo com essa evolução dos estoques, o volume ainda é bem inferior aos 12 milhões registrados em 2008/9.
A redução de estoques e o aumento de demanda internacional elevaram os preços do algodão para patamares recordes. Ontem, houve alta de 3,2% no primeiro contrato negociado em Nova York.
Os dados do Icac apontam para 25,3 milhões de toneladas na safra 2010/11, volume 16% acima dos 21,8 milhões de toneladas da safra imediatamente anterior.

Com KARLA DOMINGUES

Tags:
Fonte: Mauro Zafalon (Folha)

Nenhum comentário