Safra de grãos em Mato Grosso é a maior de toda história

Publicado em 18/11/2010 06:16 219 exibições
Mato Grosso deve produzir 31,198 milhões de toneladas de grãos na safra 2010/2011. O volume é considerando o maior da história. A cada temporada, o crescimento dessa produção pontua em torno de 15%, destacou o superintendente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Ovídio Miranda.

Os números foram divulgados pela entidade na última quarta-feira (11) e representam uma alta máxima de 8,1% na comparação com a safra 2009/2010, cuja produção alcançou 28,8 milhões/t. Com esse resultado, o Estado se mantém líder na produção de grãos do País com participação de 20% no total de 148,822 milhões/t estimados para a próxima safra brasileira. A segunda posição fica com o Paraná, que deverá produzir 29,9 milhões/t.

Conforme a pesquisa, as lavouras de grãos de Mato Grosso somaram 9,4 milhões de hectares com produtividade média de 3,316 mil quilos por/ha colhido. O algodão é a cultura que deverá apresentar um incremento mais significativo entre os demais grãos, passando de 583 mil/t para 922 mil/t. Mesmo assim, ainda é a soja responsável por abocanhar 62% de representatividade na produção mato-grossense. O aumento previsto para a oleaginosa será de 4,3%, de 18,7 milhões/t para 19,5 milhões/t.

O diretor da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Rogério Romanini, explicou que tanto a soja, quanto o algodão estão com preços atrativos para o mercado, o que acaba atraindo mais produtores para manter o plantio desses grãos. No entanto, para a entidade, o milho poderá sofrer queda de produção incentivada pela redução de área – diferente do que é proposto no levantamento da Conab que aponta alta de 12,7% na produção do milho (passando de 8,1 milhões/t para 9,1 milhões/t).

Cenário negativo também é observado na produção do arroz. A Conab pontua que esse grão sofrerá diminuição de 14,7% em sua produção que deve atingir 633 mil/t nesta safra, ante a 742 mil/t registrada na safra anterior. O presidente do Sindicato das Indústrias do Arroz de Mato Grosso (Sindarroz-MT), Joel Gonçalves, explicou que a atratividade no preço da soja é o principal responsável por essa condição. Além disso, explicou que o atraso no início da safra também motivou esse prejuízo.

Tags:
Fonte:
Celeiro Notícia

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário