Alta das commodities chega forte ao atacado e é repassada ao consumidor

Publicado em 30/11/2010 07:13 262 exibições
A alta das commodities no mercado externo já é repassada com intensidade para os custos industriais e, consequentemente, aos consumidores brasileiros. Os dados de novembro do IGP-M mostram que os produtos agropecuários subiram 5,43% no atacado, acima do 1,45% do índice geral.

A alta das commodities começa a se dissipar tanto sobre os agrícolas como sobre os produtos industriais.

A avaliação é de Paulo Picchetti, professor da FGV e coordenador do IPC-S do Ibre (Instituto Brasileiro de Economia), da FGV.

Ele destaca as carnes bovinas, setor que o Brasil é líder em exportações. O aumento de fora puxa os preços do boi por aqui, que são repassados para o atacado, respingando nos consumidores.

A arroba de boi, que chegou a R$ 117 no campo, provocou alta de 16% na carne bovina no atacado nos 30 dias encerrados no dia 20.

No mesmo período, o consumidor já paga até 10% a mais por alguns cortes de carne bovina no varejo.

Picchetti lembra, ainda, que o consumidor paga mais também pelos produtos importados, como o trigo. O aumento da commodity lá fora já provocou alta de 4,5% no pão francês até outubro. "Alta que veio para ficar", diz.

Conjugação - Há um ótimo desempenho da safra de cana-de-açúcar neste ano devido a uma conjugação de situações favoráveis, o que nem sempre ocorre, segundo Julio Maria Borges, da JOB Economia e Planejamento.

Apertado -  Na avaliação de Borges, há um balanço entre oferta e demanda muito apertado. Os preços internos do açúcar, de abril a novembro desta safra, superam em 15,4% os de igual período anterior em São Paulo. Já os externos estão 5,8% maiores. O álcool está com valorização de 13%.

Tags:
Fonte:
Folha de São Paulo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário