Exportações mato-grossenses apresentaram queda de 0,83%

Publicado em 09/12/2010 07:22 207 exibições
Redução nos volumes exportados de soja em grão e do óleo de soja afeta diretamente performance da pauta mato-grossense
As exportações mato-grossenses apresentaram queda de 0,83% entre os meses de janeiro a novembro deste ano, em relação a igual período de 2009. Levantamento da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio mostra que o valor acumulado das exportações em 2010 atingiu o montante de US$ 7,81 bilhões, contra US$ 7,88 bilhões no ano anterior. A soja respondeu por US$ 4,96 bilhões, 14,74% a menos que o volume registrado em 2009, US$ 5,82 bilhões.

A queda é atribuída, segundo o assessor econômico da Federação das Indústrias no Estado (Fiemt), Carlos Vitor Timo Ribeiro, à redução no volume de exportações de soja em grão e óleo de soja. O complexo soja (grãos, farelo, óleo e lecitina) tem participação de 63,56% no total das vendas mato-grossenses. No ano passado, esta participação foi de 74%. Segundo ele, apesar da pequena queda acumulada no ano, as exportações totais devem fechar com números idênticos aos de 2009 ou até mesmo com um leve crescimento.

De acordo com os números da Secex, divulgados ontem pela Secretaria de Indústria, Comércio, Minas e Energia do Estado (Sicme), a soja em grão teve queda de 18,14% no volume físico exportado (8,56 milhões/t) e, óleo de soja (315,27 mil/t), recuo de 21,40%. Já em volume financeiro, a soja em grão respondeu por US$ 3,24 bilhões e, o farelo, US$ 1,45 bilhão. (Veja quadro ao lado)

Timo Ribeiro explica que este ano houve um esmagamento de soja maior em Mato Grosso, principalmente para atender à demanda por biodiesel. No caso do farelo, o aumento foi para atender a necessidade de ração animal no Estado, em virtude do crescimento de indústrias de granjas de aves e suínos. "Para se ter uma idéia, tivemos este ano um aumento de 31% nas exportações físicas de carnes de aves, o que demandou no maior consumo de farelo", lembrou o economista.

Em volume físico, foram exportadas 157,75 mil toneladas de carne de aves, contra 119,69 mil toneladas em 2009. Em valores monetários, as vendas atingiram US$ 273,25 milhões. Carne bovina continuou sendo o destaque no complexo "Carnes", com um valor faturado de US$ 678,18 milhões. No total, as carnes bovinas, suínas e de aves fecharam o período de janeiro a novembro com vendas total de US$ 1,01 bilhão, incremento de 38,20% em relação aos números do ano passado (US$ 737,51 milhões).

As exportações de milho totalizaram US$ 1,01 bilhão, contra US$ 646,14 milhões em 2009, incremento de 57,02%. Já as exportações de arroz encolheram 74,32%, caindo de US$ 217,79 milhões para US$ 55,93 milhões. Madeira respondeu por US$ 116,59 milhões e, minerais (destaque para o ouro), US$ 127,57 milhões.

9º LUGAR - Com os números de novembro, Mato Grosso ocupa o 9º lugar no ranking dos maiores exportações brasileiros, ficando atrás de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Pará, Espírito Santo e Bahia. Na região Centro-Oeste, Mato Grosso responde por 54% das exportações (US$ 7,81 bilhões), seguido de Goiás (US$ 3,81 bilhões).

Por bloco, a Ásia continua sendo o principal comprador de Mato Grosso, com US$ 3,83 bilhões, destaque para a China, que sozinha compra o equivalente a US$ 2,29 bilhões.

Tags:
Fonte:
Diário de Cuiabá

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário