Código Florestal: Pedido de urgência não foi votado nesta terça-feira

Publicado em 15/12/2010 08:28 948 exibições
A Câmara dos Deputados adiou a votação do pedido de urgência para o projeto do novo Código Florestal na noite desta terça-feira. No entanto, o deputado Moreira Mendes (PPS-RO) afirmou que a bancada ruralista não vai abrir mão da votação do projeto nesta quarta-feira.

Zonta (PP-SC), também da bancada ruralista, confirmou que os parlamentares favoráveis à proposta estarão unidos e não deixarão que qualquer matéria seja votada antes do pedido de urgência.

Mais cedo, a bancada expressou o desejo de votar o pedido de urgência, mas durante a reunião de líderes não foi possível um acordo em torno da questão.

"A preocupação que nós temos nesse momento é com o descaso que se vê hoje com a agricultura brasileira, onde milhares de produtores pagam para produzir e são tratados dessa forma. Vem um Greenpeace fazer um protesto aqui na casa e é muito mais importante. Vinte ou trinta deputados, uma minoria aqui, conseguem levantar a casa e não deixar votar essa matéria", disse o deputado Luis Carlos Heinze, da bancada ruralista.

Tags:
Fonte:
Agência Câmara + Band

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

11 comentários

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Pessoas como o CARLOS ROBSON de VIÇOSA DO CEARÁ - CE e muitas outras ainda não entenderam que a redução para 15 m com possibilidade do Estado reduzir a Proteção Permanente ao longo de córregos e Rios para 7,5 m é uma maneira para LEGALIZAR onde isto já ocorre. Em nenhum local está escrito que será permitido DESMATAR este remanescente onde ele ainda existe. Só assim será possivel manter ESTRADAS, pontes, viadutos e um monte de infraestrutura na legalidade. Já pensou quanta estrada ou estradinha no interior teria que ser colocada barranco acima para ficar fora dos 30 metros? Ah! atenção, para medir é em nível e não inclinação acima...

    0
  • Lindalvo José Teixeira Marialva - PR

    Caro amigo Carlos Robson, a proposta não inclui 5 metros de Preservação Permanente e sim 15 metros para côrregos e riachos com menos de 3,0 metros de largura. Desta forma teremos um proteção de 30 metros nesses côrregos e riachos que nascem e cortam várias propriedades do país. Essa proposta, se aprovada no congresso, vai para os estados e vai depender de cada estado a rdução de 30 metros para 15 metros da área de PP. Temos que pensar que esta área vai ser somada para compor os 20% de Reserva legal, desta forma teremos uma proteção, ainda maior em nossos riachos, côrregos e nascentes, pois é viavel que esta área de proteção fique nas margens de águas.

    0
  • Paulo de Tarso Pereira Gomes Brazópolis - MG

    Meu caro Carlos Robson, o Brasil tem uma área territorial continental, as regiões são muitos diferentes, no caso especifico que tenho conhecimento, as normas de respeito a mata ciliar no antigo código a ser ". reformado" é no mínimo burra e feito por pseudos "ecologistas de gabinete", para se ter idéia na minha região que é montanhosa as nascentes sãoi tantas que se respeitar os 30 metros para todos filetes de agua provenientes das nascentes, na maioria das propriedades não sobram um palmo de terra agricultavél, então nem tanto a céu e nem tanto a terra, vamos acreditar pelo menos nos técnicos da EMBRAPA -para nos orientar.

    0
  • Carlos Robson VIÇOSA DO CEARÁ - CE

    Sou agricultor e pecuarista, mas, não concordo com o novo código florestal. Principalmente no que diz respeito a redução das matas ciliares para 5 metros apenas, o que na prática coloca em risco maior as nascentes e manancias que hoje já andam tão exauridos.

    0
  • Lindalvo José Teixeira Marialva - PR

    Voce que esta lendo esta mensagem, repasse e vamos iniciar um movimento pela defesa do Código Florestal, vamos para cima do Congresso Nacional e exigir uma posição, esta na hora das Nossas Cooperativas, Nossas Federações de Agricultura, Associações de produtores, Sindicatos e outros do setor se movimentarem, dia 11 de junho de 2011 esta chegando, temos pouco tempo para legalizar a situação do produtor.

    0
  • Paulo de Tarso Pereira Gomes Brazópolis - MG

    Como pequeno produtor rural do sul de minas, não entendo como ainda tem "brasileiros" que ainda levantam bandeiras contra os agricultores do nosso pais que ainda lutam contra todas as forças para sustentar o Brasil e o mundo com alimentos baratos e de qualidade, lutam contra os enormes subsídios do primeiro mundo para sua agricultura ineficiente e "cara", achei boa a idéia de bloquear nossos armazéns como protesto e vamos continuar a luta pela aprovação do novo Código e fim de papo.

    Paulo de Tarso

    0
  • Lindalvo José Teixeira Marialva - PR

    Produtor rural do Brasil tem que aprender a fazer protestos, protestos com respeito e segurança para sociedade e com inteligência. Não adiante fechar estradas e linhas férreas, não são nossas, vamos ser processados. Temos que fechar armazéns das cooperativas, particulares e outros e não deixar sair produtos agrícolas para serem transportados, desta forma teremos voz e conseguiremos mostrar nosso respeito e nosso valor para Sociedade Brasileira. Não podemos depender de votos de alguns deputados deste país para tratar de assuntos tão importantes como o Código Florestal, que trata de nossas terras, de nossa alimentação, de nossa renda e de nossa cultura. Daqui há pouco vão matar os bovinos em nome do aquecimento global e esquecer de tudo, da história, do trabalho, do passado e de nós mesmos.

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Mais uma vez a vitima é seu próprio algoz. Os cães latem, a caravana passa mas nunca pára, está aí o problema - temos que descobrir repórteres inteligentes que saibam em primeiro lugar questionar nossos opositores, afinal de contas qual a solução que eles sugerem? Eu acho ridículo dar o mesmo tempo na entrevista de um Deputado a favor da votação, representando uma grande maioria, para um contrário, um "gato pingado" de uma "grande MINORIA". Minoria é minoria, pô!!! Se é contra só para ser contra, tem o direito de se manifestar, mas sairá derrotado e fica nossa imprensa "sentindo compaixão" do coitadinho. Ah!, vão se catar... Mentem, mentem e mentem para angariar a simpatia através destes abobalhadores midiáticos. Parece que são daquele tipo que decidem as coisas na tesouraria e não na redação.

    0
  • Cristiano Zavaschi Cristalina - GO

    Gostaria de ver estas ONGs implementarem um Código Florestal arcaico como o atual brasileiro , em seus países de origem. Mandassem os americanos e Europeus reflorestarem suas lavouras de soja ou arrancassem das encostas as suas vinhas seculares e replantassem espécies nativas , aí poderíamos competir de igual pra igual. Fora ambientalistas , fora ONGs, fora demagogos , fora utópicos sem pé nem cabeça!

    0
  • Gerd Hans Schurt Cidade Gaúcha - PR

    Acompanhei tudo pela Tv Camara, pelo que vi, salvo alguns, considero os Parlamentares da Bancada Ruralista um bando de incompetentes. Ainda hoje em entrevista com o Sr.João Batista um Dep.Paranaense que se diz pertencer da Bancada Ruralista falou muito e não disse nada. Estão de brincadeira com o produtor rural

    0
  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    A ação das ONGs usando os Deputados ignorantes no aspecto ambiental chega ser vergonhoso para o Brasil. Eu já assisti esse filme! Confesso que chega a ser digno de pena ver Deputados completamente desinformados atuando de forma criminosa contra o desenvolvimento brasileiro, conduzidos por ambientalistas que também de forma criminosa contra nosso desenvolvimento, sem nenhum escrupulo, em meia dúzia, comandam o Congresso Nacional . É preciso um movimento nacional "Fora ONGs" para defendermos nosso País! Quem é greenpeace, wwf... para mandar no País? E os produtores olhando de longe, cegos e surdos! Quero ver quando chegarem e surrupiar de 30 a 50% de sua propriedade sem nenhum benefício para ninguém e sim um prejuizo incalculável para o País! Com certeza teremos que fazer uma obilização Nacional! Estamos programando para iniciarmos em Tupanciretã e Janeiro de 2011. Nos aguardem!

    0