Teresópolis: Sindicalista pede ajuda urgente para os trabalhadores rurais

Publicado em 21/02/2011 08:44 179 exibições
Agricultura local foi afetada com fortes chuvas da tragédia e ainda não se recuperou.
O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Teresópolis está terminando um levantamento de quantas pessoas estão precisando de auxílio após as fortes chuvas que causaram a calamidade no dia 12 de janeiro. O drama vivido na área rural de Teresópolis ainda é grave, uma vez que, após as plantações se transformarem em montes de lama e pedras, o reflexo da tragédia aflige os trabalhadores rurais, que podem perder seus empregos e acabar passando necessidades e fome. Com números exatos em mãos, será possível pedir auxílio com a real dimensão da calamidade no interior do município.

“Ainda é grave, porque a semana passada é que conseguimos ter acesso a alguns lugares então tem alguma coisa que a gente não sabe o que está se passando. Nós estamos trabalhando com a ajuda do governo federal, da prefeitura, para pelo menos amenizar o sofrimento desse pessoal. O pessoal que está mais tranqüilo hoje já quer produzir, mas estão sem condições devido a essas avalanches de terra e pedra que tomaram toda a propriedade dele, onde fazia agricultura ele não pode hoje”, afirmou Edson.

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais estima que o problema deva envolver aproximadamente três mil trabalhadores de forma direta. Na região, são cerca de 20 mil o número de pessoas que dependem dos serviços oferecidos no meio rural para se sustentar e são poucos os produtores que são credenciados no Pronaf para receber as linhas de crédito emergenciais.

O Sindicato consultou órgãos como a Secretaria de Agricultura para fazer um estudo para avaliar a produtividade das terras. Outra grande preocupação envolve locais que estão sem acesso, não deixando possibilidade para o produtor escoar o que já estava produzido, perdendo o que poderia gerar alguma renda. Em algumas localidades houve perda total do solo, ficando inviável até mesmo o trabalho de tratores. Edson afirmou que há falta de equipamentos para trabalhar em uma área tão extensa com a que foi atingida, com pontes destruídas e acessos danificados.

No último dia 11, o sindicalista se encontrou com o ministro do Trabalho Carlos Lupi, que esteve em Teresópolis justamente para oferecer ajuda. Ele pediu uma interferência urgente do governo federal, enviando recursos, disponibilizando linhas de crédito e facilitando a vida do trabalhador para evitar um ciclo de miséria na área rural.

“O sindicato se baseou desde o inicio em fazer um levantamento de todas as perdas. Estamos desde o inicio fazendo um delicado levantamento e estamos mandando isso para a Contag em Brasília, para a prefeitura, para o Iterj. Centralizamos um local em Bonsucesso onde está fazendo um levantamento dessas perdas com uma ajuda que tivemos com a presença do Ministro Lupi que pediu para que fosse feito isso e apresentado a ele que se comprometeu de no dia 26 comparecer em nossa cidade e colocar em definições a curto prazo”, disse.

O pedido por recursos imediatos é para evitar que o dono da terra que está perdendo a receita para pagar o salário de seus funcionários, não acabe realizando demissões. Edson explicou que a maior geração de renda da região serrana é a agricultura e teme que sem o restabelecimento deste setor, o comércio local passe por grandes dificuldades. O sindicalista também faz parte da diretoria da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Rio de Janeiro.

Edson contou que em algumas localidades mais afetadas de Teresópolis, como Vieira, Bonsucesso e Motas, só não está faltando comida para as famílias de agricultores porque ainda estão chegando doações e enalteceu a solidariedade que ajuda a superar esse problema, mas ele teme que se o auxílio governamental não chegar logo, os trabalhador podem passar fome.

Tags:
Fonte:
Diário de Teresópolis

0 comentário