Crédito: Pa­ra­ná tam­bém rei­vin­di­ca me­lho­res con­di­ções de cus­teio

Publicado em 04/04/2011 07:57 264 exibições
Representantes do agronegócio do Paraná também pediram mudanças nos limites de crédito para financiar a próxima safra. Por meio de uma carta, a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) e a Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar) sugeriram ao ministro da Agricultura, Wagner Rossi, o aumento de recursos financeiros de R$ 116 bilhões para R$ 140 bilhões. Desse total, R$ 20 bilhões seriam destinados à agricultura familiar e o restante para a empresarial.

Pedro Loyola, economista da Faep observa que a reivindicação pede ainda a redução da burocracia na aquisição de créditos e, principalmente, das taxas impostas sobre os financiamentos, dos atuais 6,75% para 5,75% ao ano. Além disso, destaca a necessidade de disponibilização de um bônus de adimplência de 1%. O documento sugere, também, que sejam mantidas as taxas de 2% cobrada pelo Mais Alimentos e de 4% do Pronaf.

Quanto ao preço mínimo, tanto a Secretaria Estadual da Agricultura e do Abastecimento quanto Ocepar e Faep estão sugerindo que na safra 2011/12 seja corrigido de acordo com a inflação do período. Também consideram importante assegurar recursos de, no mínimo, R$ 6 bilhões para apoiar a comercialização da safra brasileira, além do resgate dos empréstimos do governo federal com opção de venda. Ainda de acordo com a carta, o Paraná requisitou a redução de 1,25% na taxa de juros imposta sobre o Moderfrota, que visa estimular a troca de equipamentos velhos por mais modernos.

Tags:
Fonte:
Folha de Londrina

0 comentário