MT é líder nacional na produção de quatro commodities

Publicado em 12/05/2011 08:09 384 exibições
Mato Grosso é líder nacional na produção de 4 commodities agrícolas. Soja, algodão, girassol e milho segunda safra são os principais produtos cultivados no Estado e garantem a 2ª colocação entre os maiores produtores de grãos do Brasil, com 30,582 milhões de toneladas. A produção de soja é mais representativa, com 20,4112 milhões de toneladas estimadas pelo 8º levantamento de grãos realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Com este volume, a oleaginosa produzida em Mato Grosso corresponde a um terço de toda oleaginosa cultivada no país, que chega a 73,607 milhões de toneladas. Nesta safra, 2010/2011, houve um aumento de 8,8% no volume com relação a safra 2009/2010, quando 18,766 milhões de toneladas foram produzidas. O incremento é fruto da melhor produtividade alcançada no campo. Em algumas regiões, como Médio-Norte e Norte, o salto foi de 53 sacas por hectare para 57 sacas por hectare.

De acordo com o levantamento da Conab, a produtividade aumentou em 5,8% entre a safra anterior e a atual e a área plantada 2,8%, passando de 6,22 milhões de hectares para 6,39 milhões de hectares. Entre os fatores que contribuíram para o melhor resultado, o atraso no plantio no ano passado e a chuva no momento certo são apontados como os principais. O presidente do Sindicato Rural de Sinop (a 500 km de Cuiabá), Antônio Galvan explica que o produtor soube segurar o plantio e isso teve um impacto positivo. "Este ano foi tudo melhor para a soja. A produtividade aumentou e os preços se mantiveram". No período da colheita da safra 2009/2010, a saca era comercializada entre R$ 22 e R$ 25 e no mesmo período deste ano de R$ 37 a R$ 40.

A relevante produção do Estado pode ser ainda maior, segundo o economista e consultor do agronegócio, Amado de Oliveira Filho, caso as ações para regularização ambiental e segurança jurídica sejam concluídas. Segundo ele, a demanda mundial por alimentos tende a aumentar com o crescimento populacional e de renda dos países e Mato Grosso pode ampliar a oferta caso os produtores se sintam seguros para investir. "Com a definição do que pode e onde se pode produzir, os investidores vão finalmente intensificar a produção e aumentar o volume. E isso é possível sem que haja aumento na abertura de área".

Mas nem só de soja é formado o agronegócio mato-grossense. O algodão registrou uma variação de 79% entre a safra 2009/2010 e 2010/2011 nas 3 modalidades, em caroço, em pluma e caroço de algodão. Neste ano está prevista a colheita de 2,68 milhões de toneladas de algodão em caroço e 1,04 milhão de toneladas dele em pluma. Segundo produtor Alexandre De Marco, de Rondonópolis, o incremento na produção é resultado da demanda mundial e nacional. "A quantidade é suficiente para atender a oferta deste ano". O crescimento é fruto da maior área cultivada no Estado, que passou de 428 mil hectares para 723 mil hectares entre as duas safras. "Os produtores abriram mão de algumas culturas para apostar no algodão".

Com relação ao girassol, o Estado se consagra o maior produtor com 57 mil toneladas segundo o 8º levantamento da Conab. Este volume corresponde a 68% do total produzido no Brasil, que deve alcançar 82,7 mil toneladas.

Tags:
Fonte:
A Gazeta

0 comentário