Circuito Aprosoja debate tecnologia e Código Florestal durante Entec$

Publicado em 27/05/2011 10:47 283 exibições


Uma das maiores feiras de difusão tecnológica de Mato Grosso, o Encontro Nacional de Tecnologias de Safras (Entec$), realizado em Lucas do Rio Verde, recebeu a programação do Circuito Aprosoja 2011, levando informações técnicas aos produtores rurais e variados segmentos do agronegócio da região Norte do estado. A relação com a sociedade e os desafios que o produtor rural enfrenta diariamente foram os temas discutidos na noite de quinta-feira (26.05).
 
O professor doutor de filosofia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e consultor de análise política, Denis Rosenfield, destacou a relação da agropecuária e o direito a propriedade. Além disso, falou sobre a importância da instituição da propriedade privada para a liberdade e para o desenvolvimento econômico do Brasil. “O direito a propriedade é central, não há uma sociedade que tenha abolido esse direito que tenha tido sucesso, os que eliminaram só tiveram como resultado a miséria e falência”, disse.
 
Rosenfield chamou atenção para o protagonismo das entidades empresarias que souberam apostar no seu potencial administrativo público. Segundo o palestrante, é preciso haver um protagonismo público bem definido para alimentar a sociedade. Ele criticou o papel das Organizações Não Governamentais (ONGs) que são financiadas por empresas privadas e entidades ligadas à União Europeia e defendem interesses setoriais de outros países aqui no Brasil.
 
“As entidades fazem qualquer coisa por conta dos selos legais que atestam a sustentabilidade das empresas”, criticou as organizações e sua postura ambiental. O professor garante que muita discussão em torno das emendas propostas pelo novo Código Ambiental será debatida daqui para frente. “Não tem nada ganho. Uma vez sancionado o assunto, não está resolvido, pois haverá decisões de juízes contra a decisão, enfim, várias liminares inconstitucionais contra. A campanha de toda classe produtiva e opinião pública não pode parar por aqui”, posiciona.
 
PRODUTIVIDADE
 
Em se tratando de novos desafios com foco na produtividade, a rotação de culturas foi amplamente discutida como alternativa de renda ao produtor. Segundo o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Glauber Silveira, a produção agrícola brasileira passou por grandes transformações e encontrou na diversificação das culturas a alternativa para crescer e continuar rentável. “Se olharmos anos atrás, a agricultura brasileira tinha uma safra principal e no máximo o milho como segunda safra. Hoje nós temos condições de produzir diversas culturas além da soja e do milho, dá para produzir o ano inteiro.”
 
Silveira chama atenção para as pesquisas, como por exemplo, o trabalho realizado pela Fundação Rio Verde na região Norte de MT que atua no sentido de ampliar a oferta de outras culturas para os produtores locais. “Desenvolvendo a pesquisa podemos avançar em termos de produtividade. Existem níveis muito baixos de produtividade e eventos como esses servem para ampliar o que existe em termos de tecnologia de ponta. Outra situação é a irrigação, que ainda é pouco utilizada em nosso país. Ela precisa ser aproveitada de forma mais sustentável. O Brasil irriga muito pouco e, com isso, produzimos muito pouco”, avalia.
 
Estiveram presentes em Lucas do Rio Verde o prefeito do município, Marino José Franz, o secretário de Estado de Agricultura, José Domingos Fraga, o deputado federal Neri Geller, o vice-governador de Roraima, Francisco Rodrigues, o presidente da Famato, Rui Prado, entre outras autoridades locais. O evento é uma é uma realização da Aprosoja/MT e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar/MT), vinculado ao sistema Famato.

Desde o lançamento em Cuiabá/MT, no mês de abril, mais de três mil pessoas assistiram às palestras técnicas. Este ano, pela primeira vez, o Circuito visitou outros estados do país, se consagrando como o maior evento da sojicultura brasileira. Durante a etapa nacional esteve em Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, Goiás e Bahia. Para encerrar, o Circuito 2011 vai a Vilhena/RO amanhã e aproveita para inaugurar a sede da Associação dos Produtores de Soja de Rondônia.

Tags:
Fonte:
Aprosoja

0 comentário