Na Folha: Fazenda alemã de brotos é suspeita de originar surto de E.coli

Publicado em 06/06/2011 08:23 e atualizado em 07/06/2011 05:25 453 exibições
Na edição de hoje da Folha de S. Paulo
Uma fazenda no norte da Alemanha foi identificada como sendo a mais provável origem do surto de infecções por uma variante altamente tóxica do E.coli que matou 22 pessoas.

A fazenda, que produz brotos de feijão, lentinha, ervilha e outras leguminosas fica em Ulzen, cerca de 100 km ao sul de Hamburgo, o epicentro do surto que deixou mais de 2 mil pessoas enfermas.

As autoridades alemãs aguardam nesta segunda-feira os resultados de testes realizados na fazendas.

O ministro da Agricultura para a região da baixa Saxônia, Gert Lindemann, disse que a fazenda foi fechada e todos os seus produtos recolhidos. A fazenda vendia seus produtos para restaurantes e mercados em Hamburgo e outras cidades.

Segundo o correspondente da BBC em Berlim Steve Evans, se a fazenda for confirmada como origem do surto, o caso deve causar grande constrangimento para as autoridades alemãs, que tinham inicialmente apontado para pepinos produzidos na Espanha como sendo a provável causa da contaminação pelo E.coli.

Ministros da Saúde dos países da União Europeia se reúnem nesta segunda-feira em Luxemburgo para discutir o surto.

Gado e ovelhas

A bactéria já matou 22 pessoas, 21 na Alemanha e uma na Suécia, e infectou cerca de outras 2 mil, na Alemanha e outros 12 países.

A maioria dos afetados pelo surto está na Alemanha, com casos concentrados na cidade de Hamburgo.

Mais de 2.150 pessoas no país foram infectadas. O ministro federal da Saúde, Daniel Bahr, informou que os hospitais do norte da Alemanha estão superlotados devido ao surto, mas os funcionários estão fazendo "todo o que for necessário" para ajudar os pacientes.

A E. coli, que costuma habitar as entranhas de gado e ovelhas, em geral é inofensiva à saúde. Mas a variedade que está atacando a Europa, a EHEC, causa diarreia, cólicas estomacais severas e febre. Ela se prende às paredes do intestino, onde libera toxinas.

A maioria das vítimas se recupera após alguns dias de tratamento, mas um pequeno número de pacientes desenvolve uma síndrome potencialmente fatal, que ataca os sistemas renal e nervoso.

Cientistas afirmaram que a nova variante da E.coli é um híbrido agressivo, tóxico para humanos e que não estava ligado anteriormente à intoxicações alimentares.

A Espanha é o país mais afetado economicamente pelo episódio, com grande perdas registradas por produtores locais de pepino e outros legumes e verduras. O premiê José Luis Rodríguez Zapatero disse que seu país vai exigir reparações pelas perdas sofridas.

Ministros da Agricultura da UE discutirão surto de bactéria na terça

Os ministros da Agricultura da UE (União Europeia) realizarão nesta terça-feira uma reunião extraordinária para discutir ações para ajudar o setor agrícola, diante do surto da bactéria "E. coli" iniciado na Alemanha, informaram nesta segunda-feira fontes do bloco.

A Comissão Europeia - órgão executivo da UE - pode apresentar já nesta terça uma série de propostas para apoiar o setor agrícola, como ajudas à intervenção da produção e a autorização de subsídios públicos aos produtores, disseram as fontes, embora isso ainda não tenha sido confirmado oficialmente.

O encontro foi convocado pela Presidência da UE - exercida atualmente pela Hungria - para tratar os problemas dos produtores e também da comercialização no exterior, após os embargos comerciais da Rússia e de outros países aos produtos agrícolas de alguns ou de todos os países comunitários.

A reunião extraordinária discutirá também questões sobre saúde alimentar suscitadas pelo surto, embora o alcance deste debate dependa de como irão avançar as análises na Alemanha sobre as causas do incidente.

As últimas suspeitas das autoridades de Berlim apontam como possível origem da contaminação uma instalação agrícola alemã, mas os resultados definitivos das análises ainda devem ser divulgados nesta segunda-feira.

"Até agora, continuamos sem saber com certeza qual é a causa ou se está relacionada a um produto alimentício", ressaltaram as fontes comunitárias.

Um porta-voz da Presidência húngara, Márton Hajdú, explicou que o comissário de Agricultura da UE, Dacian Ciolos, e o de Saúde e Consumo, John Dalli, foram convidados a participar do encontro para expor aos ministros a situação em seus respectivos âmbitos.

Este Conselho de Ministros extraordinário tinha sido pensado inicialmente para o dia 17, mas foi antecipado diante da urgência da situação no setor, com problemas graves em produtores da Espanha e da Alemanha, sobretudo, mas também em outros países da UE, como a Holanda, acrescentaram as fontes.

Tags:
Fonte:
Folha de S. Paulo

0 comentário