Plano Agrícola e Pecuário quer estimular produção de grãos e sustentabilidade na agropecuária

Publicado em 17/06/2011 16:05 480 exibições
O Plano Agrícola e Pecuário 2011/2012, lançado hoje (17) pela presidenta Dilma Rousseff em Ribeirão Preto (SP), com recursos de R$ 107,2 bilhões, traz oito objetivos traçados pelo governo. O primeiro é o aumento da produção de grãos de 161,5 milhões para 169,5 milhões de toneladas, um aumento de 5% em relação à safra 2010/2011. Assim, o Executivo espera garantir o abastecimento interno, mantendo os preços estáveis, além de ampliar as exportações do agronegócio, que representam quase 40% de tudo o que o Brasil vende a outros países.

O segundo objetivo é estimular o desenvolvimento sustentável da agropecuária, com linhas especiais, incluídas no Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC), para atividades que reduzam a emissão de gases de efeito estufa. A terceira meta é incentivar a recuperação de pastagens, em uma área de aproximadamente 1,5 milhão de hectares, e a renovação do rebanho, aumentando a produtividade e a oferta de carne bovina.

A estabilização da oferta de etanol, cuja falta tem aborrecido os proprietários de carros flex nos últimos períodos de entressafra, também é um dos objetivos. Para tentar resolver parte do problema, aumentando a produção, o novo plano safra oferece uma linha especial crédito de até R$ 1 milhão por produtor para a renovação e ampliação das áreas cultivadas com cana-de-açúcar.

A quinta meta é garantir apoio à comercialização para os produtores de laranja, equilibrando os preços. Os citricultores têm pedido apoio do governo nas últimas safras para reduzir as grandes oscilações de preço do produto no mercado. Entre uma safra e outra, o preço da caixa chegou a subir de R$ 3 para R$ 15, com risco de voltar ao patamar anterior logo em seguida. Dentro do plano, há uma linha de crédito especial de até R$ 30 milhões por agroindústria do setor.

Os últimos três objetivos apresentados são: garantir quantidade adequada de recursos do Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR), principalmente aqueles com taxas controladas; reforçar o apoio ao médio produtor rural, com o aumento de 48,2% dos recursos do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), que agora terá R$ 8,3 bilhões e, por último, dar continuidade ao aperfeiçoamento dos programas específicos de investimentos.

Tags:
Fonte:
Agência Brasil

1 comentário

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Brasil, terra da jabuticaba ou seria jaboticaba? inexistente no resto do mundo, tem outras exclusividades que ninguém adota, não sei por quê.... Será que não prestam? Temos a Reserva Legal.... temos os consórcios... campeonato de "cuspe à distância"... o feijão carioquinha... e os motores FLEX que se mostraram muito mais eficientes com gasolina contra os antigos à gasolina e ineficientes quando utilizam etanol contra os antigos motores à álcool. Uma cegueira coletiva impede enxergar que a tecnologia embarcada, com a eletrônica de hoje em dia, seria capaz de produzir motores exclusivos à álcool muito mais eficientes. Entretanto o povo abobalhado midiaticamente prefere protestar pela escassez de etanol e o "sensivel" Govêrno resolveu atender aos reclamos e vai conceder financiamentos para a renovação de canaviais cuja produção seja exclusivamente para a produção de etanol. E no estrangeiro, exceto Paraguai e Bolivia... ninguém quer nossos carros Flex. Eles preferem o E85 e o E70. Eu queria tanto ser mais otimista... porém aquela piada antiga, se confirma cada vez mais. Quando os anjos reclamaram a Deus que nesta terra Brasilis não haveria desastres naturais significativos, qual a razão disto? Deus lhes respondeu "vocês vão ver o povinho que eu vou colocar lá..." (Uns 96 % TOLOS)

    0