Lucro da Doux Frangosul despenca em 2010

Publicado em 13/07/2011 07:31 390 exibições
A Doux Frangosul, que desde 2009 vem atrasando os pagamentos aos criadores integrados de frangos e suínos no Rio Grande do Sul, teve lucro líquido de R$ 27,1 milhões em 2010. A cifra foi 67,5% inferior aos R$ 83,2 milhões do exercício anterior devido à deterioração do desempenho financeiro. Mas tanto a margem bruta quanto o resultado operacional e a geração de caixa medida pelo lucro antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda) tiveram expansão no período.

A receita bruta da companhia caiu 12%, para R$ 1,521 bilhão, influenciada pela queda de 14,5% nas exportações, que somaram R$ 1,142 bilhão. Tomando como base o câmbio médio em cada exercício, o recuo nos embarques foi de 3,1%, para US$ 649 milhões, enquanto no mercado interno as vendas diminuíram 3,3%, para R$ 378,9 milhões. Em 2010, as exportações totais de carne de frango do Brasil cresceram 17,2%, para US$ 6,8 bilhões, conforme a União Brasileira de Avicultura (Ubabef).

Apesar da queda do lucro, a empresa que tem sede em Montenegro (RS) e 7,6 mil funcionários no país provisionou R$ 2,4 milhões para pagamento de dividendos à matriz francesa Doux, ao contrário de 2009, quando todo o resultado havia sido destinado à compensação de prejuízos. A companhia também é avalista de um empréstimo de€ 148 milhões tomado pela controladora no banco Barclays na Europa.

A receita líquida caiu 12,4%, para R$ 1,455 bilhão, mas o aumento dos preços acima dos custos de produção elevou a margem bruta da Doux Frangosul de 20,8% para 25,4%. O Ebitda cresceu 9,8%, para R$ 237,6 milhões, enquanto o resultado operacional avançou 24,2%, para R$ 126,4 milhões. O lucro líquido, porém, foi comprometido pela reversão do resultado financeiro de R$ 10,5 milhões positivos para R$ 82,6 milhões negativos no período.

No relatório de administração que acompanha a demonstração de resultados do ano passado, o diretor geral Aristides Vogt disse que a Doux Frangosul priorizou as exportações a "mercados mais remuneradores", como a Arábia Saudita, e ampliou em 20% as vendas internas de produtos industrializados. Segundo ele, a decisão permitiu o aumento das margens e o reajuste dos preços dos produtos finais compensou a "forte alta" dos custos dos grãos no segundo semestre.

Mesmo assim, a empresa encerrou 2010 com dívidas financeiras de R$ 128,6 milhões, 39,8% a mais do que no ano anterior, sendo que R$ 55,3 milhões vencem ao longo de 2011. O valor exclui R$ 442,1 milhões em adiantamentos de contratos de câmbio e operações de pré-pagamento de exportação, que tiveram queda de 14,1% no período. Ao mesmo tempo, os recursos em caixa e as aplicações financeiras passaram de R$ 41,7 milhões para R$ 31,5 milhões.

Já o passivo com fornecedores aumentou 10% no ano passado, para R$ 250,6 milhões e os credores mais indignados são os criadores integrados. De abril até 20 de maio deste ano, depois de apresentar o quinto cronograma para a regularização dos débitos vencidos com os produtores, a empresa havia reduzido os atrasos médios de 120 para 60 dias (além do prazo usual de 45 dias para a liquidação dos lotes entregues para abate). Só que, depois disso, os pagamentos voltaram a escassear.

Segundo o assessor de política agrícola da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado (Fetag-RS), Airton Hochscheid, ontem os atrasos já ultrapassavam os 80 dias, e a Doux se comprometeu a fazer novos pagamentos amanhã e no dia 20 deste mês, com os quais reduziria em cerca de 50% o valor das dívidas acumuladas.

Além disso, conforme o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação de Montenegro, Marcelino da Rosa, a empresa vem parcelando o recolhimento do Fundo de Garantia dos funcionários desde novembro do ano passado. Procurada pelo Valor, a Doux não se manifestou.

Tags:
Fonte:
Valor Econômico

0 comentário