Procura pela proteção do ouro é recorde no mundo. É a nova crise chegando

Publicado em 13/07/2011 18:22 450 exibições

Nesta quarta-feira,  em Nova Iorque, ocorreu um novo e definitivo dado sobre a crise global que se avizinha a passos largos:

- A onça troy do ouro atingiu a cotação extraordinária de US$ 1.578, o que significa o recode histórico de todos os tempos, ao chegar à marca de US$ 50.762 o quilo. 

. O editor conversou com o diretor da Brasoja, Antonio Sartori, que está o dia todo plugado na tela que registra as cotações de commodities em Chicago, Nova Iorque, Londres, Tóquio e Pequim, que avisou o seguinte:

- O ouro é referência única para quem busca porto seguro para o seu dinheiro. É forte sinal de que os investidores não estão enxergando opções e acreditam em forte crise econômica global.

. Também nesta quinta-feira, o editor conversou com o economista e ex-secretário da Fazenda, Aod Cunha, que informou:

- A crise econômica européia não tem solução, terá efeitos globais, e não se resolverá em menos de 20 anos. É o fim de um ciclo de crescimento econômico global.

* 1 onça troy = 31,1034768 gramas.


Entenda melhor o alcance da nova crise econômica global que vem aí:

Numa entrevista que o editor promoveu pelo seu iPhone, eis o que disse o economista e ex-secretário da Fazenda, Aod Cunha, ao analisar a nova crise econômica global que se avizinha com velocidade:

- A Europa esgotou seu crescimento no modelo anterior e crescerá menos ao longo dos próximos 20 anos. É o final de um ciclo, mas a Ásia continuará avançando sob a nova dinâmica. A crise de 2008 não foi debelada e mostra sua cara mais cruel na Europa, que envelheceu e não consegue se financiar. Na Europa, o Estado não tem dinheiro para salvar a economia. A Europa crescerá, mas muito menos. 

. Em outro trecho da entrevista, o diálogo foi o seguinte:

- E o Brasil ?

- O câmbio ruim tem sido compensado por exportações crescentes de commodities, mas com problemas na Europa, EUA e talvez na Ásia, esses mercados refluirão. Neste caso, o Brasil terá problemas.  O Brasil precisa se antecipar e adotar medidas de austeridade. 

- E o que vai acontecer a longo prazo ?

- Repito o que dizia Keynes: "A longo prazo, a única coisa que sabemos é que estaremos todos mortos.

Tags:
Fonte:
Blog Polibio Braga

0 comentário