Agricultores do RS adotam regras de sanidade agropecuária mais rígidas

Publicado em 20/07/2011 08:03 250 exibições
A intenção é vender a produção para todo o país. Uma empresa de Erechim foi a primeira a conseguir a certificação.
As agroindústrias familiares do Rio Grande do Sul estão se preparando para ingressar no Suasa, o Sistema Único de Atenção à Sanidade Agropecuária, que vai facilitar a venda de produtos em todo o território nacional.

Os 150 mil litros de leite entregues por mês a um laticínio em Erechim são transformados em queijo, leite pasteurizado e iogurte. A pequena indústria foi a primeira no Brasil a participar do Suasa e a certificação garante qualidade ao produto e direito a venda em todo o país.

A produção da agroindústria aumentou em 25% depois da certificação e agora os produtos serão vendidos em seis estados brasileiros, oportunidade de mais emprego e renda na região, 80 agricultores fornecem matéria-prima para a agroindústria e o número de funcionários dobrou.

Para participar do sistema, as empresas precisam cumprir regras federais de inspeção sanitária e os municípios são responsáveis por solicitar a adesão.

Segundo a Federação dos Trabalhadores na Agricultura, 300 agroindústrias podem ser beneficiadas no estado, que já estão incluídas em sistemas de inspeção municipal.

O Ministério da Agricultura informou que as agroindústrias do Rio Grande do Sul serão inspecionadas para adesão ao Suasa no início de agosto.

Tags:
Fonte:
Globo Rural

0 comentário