Em dia de USDA, soja fecha com leve alta. Milho e trigo em baixa

Publicado em 12/10/2011 13:31 e atualizado em 13/10/2011 07:39 1221 exibições
A divulgação de estoques mais altos para o milho nos Estados Unidos pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) derrubou os preços dos grãos nesta quarta-feira (12). Apenas a soja conseguiu encerrar o dia no azul, porém, as altas foram bastante tímidas mesmo com as estimativas da produção e dos estoques da oleaginosa terem sido reduzidas pelo departamento norte-americano. 

O mercado da soja chegou até mesmo a operar boa parte da sessão no vermelho, pressionada pela forte queda dos vizinhos milho e trigo. O trigo foi o que mais perdeu nesta quarta-feira, mais de 30 cents nos principais vencimentos, depois do USDA ter previsto um estoque mais alto nos silos norte-americanos. 

Porém, esses números não assustaram os analistas, pois o resultado do relatório de hoje - o mais importante nesta reta final de safra norte-americana - deverá ter um novo reajuste nos próximos dias, pois a China está de volta às compras. 

Segundo informações das duas principais empresas estatais chinesas que atuam no mercado de grãos, até a tarde de terça-feira os chineses já haviam comprado 2 milhões de toneladas de soja e 1,5 milhão de milho dos Estados Unidos.

Com isso, os estoques de soja que já estavam baixos quando do levantamento dos números pelo USDA, deverão ficar ainda mais estreitos. Para o milho, as compras chinesas também deverão trazer mais impactos, isso juntamente com a demanda do cereal por parte dos próprios norte-americanos que esmagam o grão para produzir etanol. 

Para o analista de mercado Flávio França, da agência Safras & Mercado, o quadro deve seguir bastante ajustado para soja, milho e trigo, mesmo com o aumento dos estoques para os dois últimos. "O relatório traz uma confirmação de que já estávamos imaginando. O quadro para 2012 segue apertado, principalmente para a soja".  Esse cenário, segundo França, traz um suporte para o mercado a médio e longo prazo. 

Outro dado que mantém as expectativas de preços altos para os grãos é o movimento do mercado financeiro, principalmente na Europa. No continente europeu nesta quarta-feira, o que se espera é a manutenção de recuperação nos negócios. O fechamento em alta das principais bolsas da Europa já refletiam esta tendência. Até mesmo a crise financeira, que tem origem na Grécia, caminha para recuperação nos próximos dias.

Mercado interno - No mercado interno brasileiro, as altas deverão trazer rápidos reflexos para as cotações dos grãos. O preço da soja, base porto, ultrapassou os R$ 48 por saca, enquanto o indicador apontava o preço médio (base estado do Paraná) a R$ 47,00/saca. 

Veja como ficaram as cotações no fechamento da Bolsa de Chicago nesta quarta-feira:



Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário