Arroz: Resultado positivo no leilão de recompra indica mercado firme

Publicado em 29/11/2011 20:02 201 exibições


 

            O leilão de recompra de contratos de opções de arroz em casca realizado nesta segunda-feira pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), alcançou um ótimo resultado, segundo a Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz). O vice-presidente da Planície Costeira Interna, Daire Coutinho, destacou a recompra de praticamente 86 mil toneladas das 100 mil ofertadas na operação. “Quase 86% de negócios, neste momento, é um sinal altista e que retira a pressão sobre a demanda por armazenamento credenciado do mercado”, frisa Coutinho. A operação não teve ágio.

           

            Segundo ele, quando o arrozeiro não exerceu toda a possibilidade de venda, indicou que o mercado permanece favorável. Ainda restarão 400 mil toneladas em contratos de opções que vão passar para os estoques públicos em dezembro, ao preço de R$ 29,00 por saca, o que é referência para o mercado livre se manter firme.

 

            Uma parte dos contratos nos preocupava porque houve produtores que contrataram as opções e agora precisariam entregar o produto em armazém credenciado, mas alguns ainda não conseguiram se credenciar. “Estes produtores ficaram descobertos, mas agora, com a recompra, garantiram não só os R$ 3,17 por saca na operação, como já tem negociação sinalizada pelo valor de mercado, que varia de R$ 26,00 a R$ 28,00 dependendo da região e das características do produto e da operação negociada”, explica Daire Coutinho, vice-presidente da Federarroz.

           

            A expectativa da entidade é de que esta alta se mantenha até o início da safra, principalmente em razão dos ótimos resultados das exportações, das operações de comercialização do governo e dos recursos para os mecanismos da próxima safra, já assegurados extra-oficialmente pelo governo. A queda na produção do Mercosul, por fatores climáticos, e o atraso do plantio no bloco econômico, também devem interferir positivamente nos preços pelo alongamento da entressafra e a redução da oferta no ciclo 2011/12.

Tags:
Fonte:
Federarroz

0 comentário