Publicidade

Produtores de algodão de todo o país decidem em assembléia aderir ao Cadastro Ambiental Rural

Publicado em 14/06/2013 15:10 672 exibições

As fazendas de algodão entrarão em processo de regularização nos moldes da nova Lei Florestal. Acordo de cooperação será firmado entre o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) para a implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) nas propriedades de todo o país. A parceria foi aprovada, nesta sexta-feira (14/06), durante assembleia da entidade. A assinatura do ato que validará a cooperação deverá ocorrer em breve.

O CAR pretende regularizar os mais de 5,2 milhões de imóveis rurais do país. De acordo com o Decreto nº 7.830, de 17 de outubro de 2012, o cadastro será feito pela internet ou nos órgãos estaduais e municipais de meio ambiente. O prazo de adesão será de apenas um ano, renovável por mais um, a contar da publicação de lançamento do CAR, que ocorrerá por meio da edição de instrumento normativo do Ministério do Meio Ambiente.

COMPETITIVIDADE

Publicidade

A totalidade dos produtores de algodão do país está representada pela Abrapa. O secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável, Paulo Guilherme Cabral, representou o MMA na assembleia e destacou a importância da cooperação com a entidade. “É um setor muito competitivo dentro do agronegócio”, avaliou. A regularização é importante para a economia do país.”

O secretário ressaltou o engajamento dos produtores de algodão com a regularização ambiental. “É um setor diferenciado, voltado para a responsabilidade socioambiental e que percebe a importância de implantar o CAR, afirmou. “O cadastro é uma forma de confirmar essa prática e trazer mais segurança para o produtor.”

Tags:
Fonte:
MMA

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • vital José Martins Costa Velho Porto Alegre - RS

    É uma questão de " obrigatoriedade legal", então independe do consentimento deste setor! Fizeram o que era obrigação!

    0