Secretaria de Agricultura e Abastecimento altera período do vazio sanitário do algodão, que ocorrerá em duas datas em SP

Publicado em 24/09/2019 15:12 e atualizado em 15/10/2019 09:13
38 exibições

Em atendimento ao setor cotonicultor paulista, a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo alterou o período de vazio sanitário para a cultura do algodão em 108 municípios da região norte e noroeste, que ocorrerá de 1º de setembro a 30 de novembro.  No restante do Estado, o vazio sanitário permanecerá de 10 de julho a 10 de outubro, de acordo com a Resolução SAA nº 34.

De acordo com o dirigente da Assessoria Técnica do Gabinete da Secretaria, José Luiz Fontes, a alteração foi realizada porque, nos últimos anos, o atraso nas chuvas naquelas regiões tem feito com que os cotonicultores iniciem o plantio mais tarde, em janeiro ao invés de dezembro. Assim, a colheita também atrasa e coincide com o período do vazio sanitário, sujeitando os produtores a penalizações por descumprimento da legislação. “Entendemos que a alteração será importante para permitir o plantio mais tarde nessas regiões, cuja área cultivada têm crescido nos últimos anos. Assim, passará a coincidir com períodos mais secos, evitando a perda da colheita”, afirmou Fontes. Em 2016, a área cultivada era de 56 hectares; em 2019, aumentou para dois mil hectares, com expectativa de se ampliar para cinco mil hectares no próximo ano agrícola.

O vazio sanitário paulista determina um período de 90 dias sem a cultura do algodão, no qual todos os resíduos vegetais da colheita devem ser removidos. A prática visa a evitar a disseminação de pragas e doenças, principalmente o Bicudo do Algodoeiro (Anthonomus grandis Boheman).

Pesquisas realizadas no Instituto Biológico, da Secretaria, indicam que o Bicudo do Algodoeiro é uma das pragas mais prejudiciais à agricultura, tanto pelos danos causados quanto pelas dificuldades de seu controle, pois impede a formação do botão floral e traz prejuízos ao cultivo paulista. Quando não controlado, pode destruir completamente a produção de um algodoal; quando controlado, os danos atingem de 3 a 75% da produtividade esperada.

“A alteração no período de vazio sanitário trará maior tranquilidade aos produtores das regiões, que poderão realizar o plantio em áreas irrigadas até janeiro e mais tarde nas áreas de sequeiro”, explicou Carlos Alberto de Luca, engenheiro agrônomo da Secretaria, que atua na regional da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS) de Votuporanga.

Logo após a colheita, o cotonicultor deverá providenciar a limpeza da lavoura, de forma manual ou mecânica, para eliminar todas as soqueiras do algodão e plantas voluntárias (guaxas ou tigüera). É uma forma manter a sanidade, evitando pragas e doenças, em especial a praga Anthonomus grandis Boheman, conhecida como Bicudo do Algodoeiro. A fiscalização da prática nas lavouras fica por conta da Coordenadoria de Defesa Agropecuária.

De acordo com a Resolução, os municípios que terão alteração na data do vazio sanitário, que ocorrerá de 10 de Julho a 10 de Outubro são: Adolfo, Altair, Álvares Florence, Américo de Campos, Aparecida d 'Oeste, Aspásia, Auriflama, Bady Bassit, Bálsamo, Barretos, Bebedouro, Buritama, Cajobi, Cardoso, Cedral, Colina, Colômbia, Cosmorama, Dirce Reis, Dolcinópolis, Embaúba, Estrela d 'Oeste, Fernandópolis, Floreal, Gastão Vidigal, General Salgado, Guaira, Guapiacu, Guaraci, Guarani d'Oeste, Guzolândia, Icém, Indiaporã, Ipiguá, Jaborandi, Jaci, Jales, Jose Bonifácio, Lourdes, Macaubal, Macedônia, Magda, Marinópolis, Mendonça, Meridiano, Mesópolis, Mira Estrela, Mirassol, Mirassolândia, Monções, Monte Aprazível, Monte Azul Paulista, Neves Paulista, Nhandeara, Nipoã, Nova Aliança, Nova Canaã Paulista, Nova Castilho, Nova Granada, Nova Lusitânia, Olímpia, Onda Verde, Orindiúva, Ouroeste, Palestina, Palmeira d 'Oeste, Paranapuã, Parisi, Paulo de Faria, Pedranópolis, Piranji, Pitangueiras, Planalto, Poloni, Pontalinda, Pontes Gestal, Populina, Potirendaba, Riolândia, Rubinéia, Santa Albertina, Santa Clara d 'Oeste, Santa Fé do Sul, Santa Rita d 'Oeste, Santa Salete, Santana da Ponte Pensa, Santo Antônio do Aracanguá, São Francisco, São João das Duas Pontes, São João de Iracema, São José do Rio Preto, Sebastianópolis do Sul, Severínia, Sud Mennucci, Tanabi, Taquaral, Terra Roxa, Três Fronteiras, Turiúba, Turmalina, Ubarana, União Paulista, Urânia, Valentim Gentil, Viradouro, Vitória Brasil, Votuporanga e Zacarias.

Nos demais municípios paulistas, o vazio sanitário ocorrerá de 10 de julho a 10 de outubro.

Tags:
Fonte: Assessoria de Imprensa

0 comentário