Algodão em pluma: Produção reduz e eleva os preços

Publicado em 18/08/2010 08:32 616 exibições
Aumento do preço do algodão é incentivado pela queda na produção da pluma em Mato Grosso. A média de alta de 5% na cotação da arroba do algodão, anunciada nessa segunda-feira (16) pelos Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), não necessariamente anima os produtores do Estado. Isso porque a valorização do produto está atrelada a quebra na safra.
Segundo o presidente da Associação dos Produtores de Mato Grosso (Ampa), Gilson Pinesso, a produção de algodão em Mato Grosso está se confirmando com uma redução de 20% em relação a temporada anterior. "Deixaremos de produzir cerca de 100 mil toneladas". O último levantamento feito pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) confirma este cenário. Nesta safra, Mato Grosso alcançará 574,5 mil toneladas de algodão, ante a 614,2 mil toneladas do período anterior.

Pinesso explica que a falta de chuva é o responsável por essa situação. Ele diz que o Norte mato-grossense foi mais afetado na comparação com outras regiões do Estado. "Municípios como Campo Novo e Sapezal sofreram muito com o período de estiagem". Conforme o Imea, nas cidades de Campo Verde (região que menos sofreu com a estiagem) e Sorriso o preço da pluma alcançou cerca de R$ 54/@ no fechamento da semana passada, diferente dos valores cotados em R$ 51,60/@ e R$ 50,80/@, respectivamente, observados no início da mesma semana.

O boletim destaca ainda que Mato Grosso produz a metade da pluma produzida em todo o País. Mas apesar da grande a oferta outra situação que justifica os preços aquecidos é o aumento da demanda das indústrias que têm sido superior à quantidade ofertada pelas beneficiadoras algodoeiras.

Exportações - As exportações dos principais produtores brasileiros de algodão, sendo Mato Grosso, Bahia e Goiás, recuaram 42% neste semestre se comparado ao mesmo período de 2009. Significa dizer que os embarques diminuíram de 206 mil/t para 119 mil/t.

Tags:
Fonte:
Gazeta Digital

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário