Áreas de plantio de algodão devem crescer 25% em 2011

Publicado em 18/10/2010 07:33 e atualizado em 18/10/2010 10:52
378 exibições
Produtores de algodão estão otimistas com a temporada 2010/2011. A previsão do setor é ampliar a área de plantio para 1,060 milhão de hectares, que representa um avanço de 25% ante 2009.

Além disso, projeta-se uma produção recorde, com um crescimento de aproximadamente 34%, que representa 1.606 milhão de toneladas, segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Em meio a este otimismo, a Associação Brasileira de Produtores de Algodão (Abrapa) destaca que quase 800 mil toneladas de algodão já foram comercializadas, sendo que aproximadamente 400 mil irão para a exportação. Para o presidente da entidade, Haroldo Rodrigues da Cunha, todas estas projeções têm grande chance de se concretizar. "Não acho impossível atingir essas metas, e digo mais, caso os produtores do Mato Grosso resolvam investir mais em algodão do que em soja, podemos chegar a 1,1 milhão de hectares", comentou ele.

A previsão da Conab é de que as exportações ultrapassem a casa dos 435 mil toneladas na safra 2010/2011, ante os 417 mil obtidos na temporada 2009/2010. Cunha confirma essa expectativa. "Acreditamos que a exportação voltará a crescer, pois a industria deve consumir 1,1 milhão de toneladas de algodão nessa próxima temporada", garantiu o presidente da Abrapa.

Cunha explicou que o caso de Mato Grosso ainda está indefinido, isso porque as chuvas esperadas para o plantio da soja, que antecede o plantio do algodão, ainda não aconteceram, e com isso, atrasou o calendário da soja, e consequentemente o do algodão. Para ele, a expectativa é de ter no estado 540 mil hectares de algodão, contando com algumas desistências. "Os produtores podem optar por não plantar a soja, e se preparar para o algodão que está pagando melhor. Entretanto, existem alguns produtores que não podem fugir do plantio da soja, e devem deixar de plantar algodão entre uma safra de soja e outra. Por isso, decidimos fazer um calculo com esse risco, e com isso teremos no mínimo 540 mil hectares de algodão", frisou.

Para o analista, Miguel Biegai, da Consultoria Safras & Mercado, o Brasil terá seguramente um crescimento nas áreas de plantio de algodão, com uma produção que superará 1.600 milhão de toneladas. "O mundo inteiro irá plantar mais algodão, a minha previsão é que teremos um incremento na área plantada superior a 30% em 2011, o que representa 1.090 milhão de hectares", disse.

Preços

A tendência, segundo os entrevistados, é de que tanto as áreas de plantio, quanto as produções irão crescer. Contudo, o fator preço, transforma o otimismo do setor em abismo para o conforto dos produtores de algodão.

Isso porque Cunha está confiante na força do preço do produto para o próximo ano. "Teremos uma safra no ano que vem com preços firmes, o produtor poderá optar muito mais pela cultura do algodão do que da soja. A não ser que aconteça outra crise financeira mundial, não acredito que o preço do algodão fique abaixo de US$ 0,80 centavos por libra-peso", afirmou Cunha.

Entretanto, para o analista Biegai, a tendência de preço para a próxima safra é de queda. "Não tenho a menor dúvida que em 2011 o preço do algodão terá queda. O contrato futuro de dezembro de 2011 está em US$ 0,86 centavos, já o contrato de dezembro 2010 marca US$ 1,09. Ou seja, o mercado coloca uma forte queda. Com isso podemos ter um grande excedente", conclui.

O grupo varejista chileno Cencosud venceu a disputa pela rede Bretas, quinta maior rede de supermercados do País, por cerca de R$ 1,35 bilhão. A Cencosud já é dona do GBarbosa.
Tags:
Fonte: DCI

Nenhum comentário