'Briga' com EUA no algodão gera rusga no Brasil

Publicado em 22/10/2010 07:45
435 exibições
A disputa entre Brasil e EUA sobre a concessão de subsídios ilegais ao algodão americano provocou um mal-estar no setor privado brasileiro. Produtores de algodão reclamam da atuação agressiva da indústria de carne suína por usar o acordo Brasil-EUA para pressionar o governo americano a liberar a importação da carne produzida em Santa Catarina.

O presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Haroldo Cunha, solicitou ao Itamaraty um "ajuste" para manter a fibra como "foco principal" nas negociações bilaterais. "Não pode puxar o assunto para suínos, não pode ter pressão exagerada", diz. "O governo tem cumprido sua parte e tudo está caminhando dentro do acordado com os americanos", diz ele.

O presidente da associação da indústria de carne suína (Abipecs), Pedro de Camargo Neto, afirma que os EUA precisam cumprir o acordo para liberar a carne catarinense. Os americanos prometeram emitir o certificado sanitário em setembro. Depois, adiaram para 20 de outubro, mas não cumpriram. Agora, o novo prazo definido é 30 de novembro.

"Essa pressão só pode ajudar o algodão porque influencia o debate sobre a reforma dos subsídios americanos de 2012", afirma. "O caso do suíno acaba agora, em novembro. Estamos brigando porque foi um acordo firmado e os americanos têm que cumprir".

A Abrapa informa que "estão em dia" os repasses do governo dos EUA ao fundo compensatório por subsídios ilegais. Desde junho, foram depositados US$ 71 milhões no fundo.
Tags:
Fonte: Valor Econômico

Nenhum comentário