Empresa quer investir na agroindustrialização do algodão baiano

Publicado em 13/04/2011 12:55 694 exibições
A indústria Hopefull Group Grain Oil Food tem interesse de participar do processo de agroindustrialização do algodão na Bahia, conforme manifestou o presidente da empresa, Shi Kerong, ao secretário estadual da Agricultura, Eduardo Salles, durante visita nesta terça-feira, 12, em Pequim (China). “Nosso foco é a soja, mas temos parcerias com a indústria têxtil e podemos ajudar a Bahia a industrializar o algodão”, afirmou o empresário. Salles lembrou que a Bahia é o segundo maior produtor nacional de algodão, atrás apenas do Mato Grosso, mas não possui grande indústria têxtil. “Queremos mudar essa realidade, agregando valor ao produto e gerando emprego e renda”, disse. O algodão baiano tem excelente produtividade, com 3.900 quilos por hectare, e para a safra 2010/2011, segundo estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), é de 1,511 milhão de toneladas, o que representa crescimento de 48,6% em relação à safra anterior (1,017 milhão de toneladas). A área plantada cresceu também 48,6%, passando de 268,8 mil hectares para 387,5 mil hectares. Indústria da iniciativa privada de esmagamento de soja, que tem capital de US$ 3 bilhões, a Hopefull deseja comprar soja da Bahia. A capacidade instalada da empresa é o processamento de três milhões de toneladas/ano, o equivalente a praticamente toda produção de soja do oeste baiano estimada em 3,3 milhões de toneladas. Nesta quarta, 13, o secretário Eduardo Salles e o superintende de Atração de Investimentos, Jairo Vaz, seguem para Seul, na Coréia do Sul, onde se reúnem com os executivos da Samsung e da AT Korea Agro-Fisheries Trade Corporation, interessados em investir na Bahia no segmento de soja. Luiz Eduardo Magalhães ganhará industria textil A portuguesa Têxtil Fremou, especializada na produção de fios de algodão, pretende instalar um centro logístico da empresa no município de Luis Eduardo Magalhães, localizado a 950 quilômetros de Salvador. O projeto prevê um investimento inicial de R$ 16 milhões. Um protocolo de intenções nesse sentido foi assinado pelo gestor da empresa, Arthur Borges e a prefeitura do município baiano. Na ocasião, o executivo da Têxtil Fremou solicitou a melhoria na qualidade de energia elétrica na região para alimentar as máquinas industriais.
A indústria Hopefull Group Grain Oil Food tem interesse de participar do processo de agroindustrialização do algodão na Bahia, conforme manifestou o presidente da empresa, Shi Kerong, ao secretário estadual da Agricultura, Eduardo Salles, durante visita nesta terça-feira, 12, em Pequim (China). “Nosso foco é a soja, mas temos parcerias com a indústria têxtil e podemos ajudar a Bahia a industrializar o algodão”, afirmou o empresário.

Salles lembrou que a Bahia é o segundo maior produtor nacional de algodão, atrás apenas do Mato Grosso, mas não possui grande indústria têxtil. “Queremos mudar essa realidade, agregando valor ao produto e gerando emprego e renda”, disse.

O algodão baiano tem excelente produtividade, com 3.900 quilos por hectare, e para a safra 2010/2011, segundo estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), é de 1,511 milhão de toneladas, o que representa crescimento de 48,6% em relação à safra anterior (1,017 milhão de toneladas). A área plantada cresceu também 48,6%, passando de 268,8 mil hectares para 387,5 mil hectares.

Indústria da iniciativa privada de esmagamento de soja, que tem capital de US$ 3 bilhões, a Hopefull deseja comprar soja da Bahia. A capacidade instalada da empresa é o processamento de três milhões de toneladas/ano, o equivalente a praticamente toda produção de soja do oeste baiano estimada em 3,3 milhões de toneladas.

Nesta quarta, 13, o secretário Eduardo Salles e o superintende de Atração de Investimentos, Jairo Vaz, seguem para Seul, na Coréia do Sul, onde se reúnem com os executivos da Samsung e da AT Korea Agro-Fisheries Trade Corporation, interessados em investir na Bahia no segmento de soja.

Luiz Eduardo Magalhães ganhará industria textil

A portuguesa Têxtil Fremou, especializada na produção de fios de algodão, pretende instalar um centro logístico da empresa no município de Luis Eduardo Magalhães, localizado a 950 quilômetros de Salvador. O projeto prevê um investimento inicial de R$ 16 milhões.

Um protocolo de intenções nesse sentido foi assinado pelo gestor da empresa, Arthur Borges e a prefeitura do município baiano. Na ocasião, o executivo da Têxtil Fremou solicitou a melhoria na qualidade de energia elétrica na região para alimentar as máquinas industriais.

Tags:
Fonte:
Gente&Mercado

0 comentário